Geral

2021: Mercado de franquias apresenta aumento de 8% no Nordeste

A região nordeste teve um crescimento de 8% no número de negócios envolvendo franquias em comparação com 2020

Em 1989, um casal de engenheiros agrônomos percebeu que era possível oferecer bem estar transformando a natureza em acessórios de higiene e beleza. Os produtos seguiam uma cultura de proteção do meio ambiente, ações sustentáveis e preservação do futuro do planeta. Nascia o Grupo Orgânica, que iniciou suas atividades com o plantio de buchas vegetais. Na década de 90, passaram a fornecer esses produtos às grandes redes de varejo. Hoje, eles possuem o maior portfólio acessórios para banho do mercado e uma linha completa de cosméticos com base 100% Vegetal. 

Em 2016, a marca criou a Orgânica Body&Spa, com quiosques, e em 2019, a marca entrou para o franchising. Em 2020, em meio à pandemia, lançaram o modelo Orgânica Body&Spa Express, que está adequado ao momento que o país está vivendo, onde o negócio pode ser conduzido de forma híbrida, atuando home office e por meio de e-commerce com investimentos a partir de R$ 25.900.

O Grupo Orgânica integra um dos segmentos de franquias que tiveram maior crescimento no Nordeste, segundo a Associação Brasileira de Franchising(ABF). Na verdade, o último levantamento realizado pela ABF, a região teve um crescimento de 8% no número das unidades abertas no segundo trimestre de 2020, com 4.504 operações, enquanto que, no mesmo período de 2019, esse número representava 4.178 unidades na região. O número de redes também subiu, passando de 555 em 2019 para 581 marcas atuantes no Nordeste, um aumento de 5% durante o período analisado.

Em alta

Entre os segmentos que mais tiveram participação no crescimento do mercado de franquias está o de Saúde, Beleza e Bem Estar com 27,2%, seguido por Alimentação (20,8%); Moda (11,1%), e Serviços Educacionais (9,9%). Para o diretor de expansão Orgânica Body&Spa João Galhardi, a Bahia, por exemplo, é um mercado, apesar de avançado, que ainda está em expansão, com carência por diversidades de produtos e serviços nichados.

“Isso cria a possibilidade para empreendedores que querem fazer um negócio prosperar. O baiano é muito aberto às novidades, principalmente se a proposta conversar com a realidade do estilo de vida muito ligado à tropicalidade e isso cria uma necessidade bem específica, como por exemplo, no mercado de cuidados pessoais”, defende. 

O diretor de expansão da Orgânica Body&Spa João Galhardi comemora as possibilidades de crescimento da franquia na Bahia, tanto na capital quanto no interior (Foto: Divulgação)

O diretor executivo da Feira Virtual de Franquia, o especialista em franchising Ricardo Branco defende que a franquia é uma forma de se reinventar, especialmente nesse momento, onde tantos perderam seus postos de trabalho. “O franqueado passa de empregado para empresário, mas, antes de iniciar esse tipo de empreendimento, é preciso salientar que existem as dificuldades, pois, no final do mês, nem sempre haverá um ganho real como o do assalariado”, diz. Para ele, qualquer franquia, assim como qualquer negócio, exigirá dedicação, persistência e coragem.

Futuro

Branco chama atenção para as chamadas Franquias do Futuro, que são empreendimentos onde o trabalho é realizado em casa, através de plataformas de e-commerce. “Essa é uma grande tendência e marcas como Orgânica Body&Spa, Mazze, Belazza e Brasil Nutri Shop tem ganhado muito espaço e relevância neste setor”, ressalta.

O especialista em franquias faz questão de destacar que antes de iniciar qualquer negócio, é fundamental estudar o empreendimento, mesmo que seja uma microfranquia. “O interessado precisa analisar as condições e, principalmente, verificar se existe sinergia com ele, valores de investimento, capital de giro e retorno. Muito importante saber quanto tempo terá que se dedicar, pois em alguns segmentos exigirão uma dedicação grande”, esclarece.

Ricardo Branco sugere que antes de investir em franquias, o interessado estude o mercado e conheça mais sobre os desafios desse negócio (Foto: Divulgação)

Para quem perdeu posto de trabalho e tem recurso para investir, a segunda dica de Branco é não investir tudo o que tem. “Guarde um pouco para sua tranquilidade, não saia se aventurando, estude bem o negócio que vai entrar. Cautela é fundamental em qualquer investimento”, aconselha. 

Ricardo Branco destaca a alta, na Bahia, de setores de alimentação, saúde e beleza, serviços automotivos, serviços de seguro, Educação a distância, internet, trabalhos de marketing, Turismo e Startups de última geração. “Todas as cidades baianas são potenciais, inclusive cidades menores. Municípios como Feira de Santana, Vitória da Conquista, Lauro de Freitas, Camaçari e Juazeiro possuem grandes mercados a serem explorados”, finaliza.