Geral

A partir de R$ 30 por dia: entenda como funciona o aluguel de carros por assinatura

A assinatura de veículos tem como maior vantagem a possibilidade de trocar o modelo em até um ano, não se preocupar com documentação e manutenção

Os automóveis são indispensáveis para a mobilidade individual. Em muitas situações, os transportes por aplicativos ou táxi resolvem, mas nem sempre é o modelo ideal. Em tempos de pandemia, por exemplo, a viagem em família em um carro para chamar de seu faz toda a diferença.

Uma solução convencional para quem não tem tem um veículo é alugar. Por dia, semana ou mês. Mas o mercado evoluiu e já oferece um sistema mais completo, que visa atender até mesmo quem tem um automóvel. O serviço começou com as locadoras tradicionais e atualmente é oferecido também pelas montadoras.

A principal vantagem é a comodidade, pois os veículos são ofertados com diversos serviços inclusos no valor da mensalidade, como documentação, seguro, serviço de assistência 24 horas e manutenção – que inclui revisões preventivas e troca de peças de desgaste natural, como os pneus.

Marcas como Audi, Fiat, Jeep e Volkswagen começaram a atuar ano passado com programas pilotos para introduzir o novo conceito no mercado. Mas ainda não estão disponíveis na Bahia. O da Renault também começou dessa forma e a partir desta semana já pode ser utilizado em todo o Brasil. 

Ele foi lançado sob o modelo de startup em março de 2020 e passou por uma etapa inicial de prova de conceito. Durante sete meses, quando ainda se chamava Loopster, foi utilizado por colaboradores da empresa e do Banco RCI, no Paraná, e por cerca de 200 clientes em seis diferentes estados do país.

Agora, é chamado de Renault On Demand e inclui Kwid, Stepway e Duster. Os planos são de 12, 18, 20 ou 24 meses com opção de 500, 1 mil, 1,5 mil e 2 mil quilômetros mensais. O plano mais acessível é o Smart, que oferece o Kwid Zen por 20 meses e 500 km mensais por R$ 919 – “menos que R$ 30 por dia”, destacou Bruno Hohmann, vice-presidente comercial da Renault do Brasil. Já o plano mais caro é o do Duster, que custa a partir de R$ 1.699 por mês.

A assinatura de um Kwid Zen para pessoa jurídica pode sair por menos de R$ 30 por dia (Foto: Antônio Meira Jr./CORREIO)

Ao término do plano, o cliente poderá optar pela renovação antecipada e, assim, receber o novo veículo na data de devolução do antigo. Que pode ser outro modelo, ou seja, é possível mudar de carro a cada ano, por exemplo.

Na Bahia, Ricardo Soeiro, diretor-presidente da LM Frotas, explicou que o maior desafio é o entendimento do conceito por parte do consumidor. Mas a popularização vem crescendo e o executivo explicou que é possível notar um maior interesse de outubro para cá.

Até para caminhão
A LM Frotas atua com esse serviço de assinatura há dois anos e desde agosto está operando com esse conceito para veículos comerciais. Segue a mesma lógica dos carros, que inclui manutenções e seguro, e custa a partir de R$ 2.547 por mês. No entanto, para caminhões, o contrato mínimo da assinatura é de 36 meses. É possível fazer simulações e conhecer os utilitários disponíveis em www.assinetrucklm.com.br.

Vale a pena?
Esse tipo de serviço é vantajoso para quem não quer comprometer o crédito em um financiamento ou investir suas reservas em um veículo. Ou ainda quem não quer lidar com seguro, manutenção e/ou documentação. 

Na hora da revisão, por exemplo, não será necessário fazer cotações ou ter receio de que estão oferecendo um serviço que não seja útil. Afinal, o veículo continua sendo propriedade da montadora e a manutenção será executada por um concessionário autorizado.

Também não será preciso ir ao Detran, contratar um despachante, cotar seguro ou anunciar o carro para vender.

É preciso levar em conta todos os custos com o veículo, incluindo documentação e revisões (Foto: Wirestock/Freepik.com)

Calculando tudo
O interessado em uma assinatura deve levar em conta diversos fatores ao verificar se o negócio é vantajoso. Além do preço do veículo, deverá incluir itens como seguro, Ipva e revisão.

Em alguns casos, a operação feita para pessoa jurídica é mais barata, e isso vale inclusive se você for MEI. Então, na hora de decidir por um carro novo, leve em consideração os tradicionais financiamentos, consórcio e, agora, os serviços por assinatura.