Geral

A violência não tira folga e não dá trégua

Os quatro primeiros finais de semana de janeiro tiveram 43 homicídios em Salvador e na Região Metropolitana, segundo mostrou levantamento feito pelo CORREIO, essa semana, com base nos boletins diários das ocorrências policiais. Somente nos dias 23 e 24, foram 15 assassinatos, um recorde. Desses crimes, oito ocorreram na capital e os outros sete na RMS.

Entre  as vítimas de Salvador na última semana  estão o barbeiro Lucas Souza de Araújo, 29 anos, morto a tiros pelo advogado José Geraldo Lucas, em um bar no Imbuí, no domingo, 24; e   o adolescente Wagner Santana Bispo da Silva, de 19 anos. Ele se  apresentaria ao Exército na segunda-feira, 25, para prestar o serviço militar. O desejo do rapaz era seguir carreira nas forças de segurança, segundo sua  família revelou  ao repórter Bruno Wendel, da equipe do  CORREIO.

Wagner Santana, infelizmente, entrou para as estatísticas de jovens negros assassinados no Brasil. Com base nos dados do Atlas da Violência 2020, divulgado em agosto do ano passado, houve um aumento de 11.5% nos homicídios de pretos e pardos no país  entre 2008 e 2018.   

Feito com base no Sistema de Informação sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde (MS), o último Atlas da Violência evidenciou  ainda que, para cada pessoa não negra assassinada em 2018, 2,7 negros foram mortos. Enquanto a taxa de homicídios por  100 mil habitantes da década estudada   foi de 13,9 casos entre não negros, as mortes violentas de negros chegou a 37,8 no mesmo período.  

Moradores da Boca do Rio protestaram pela morte de Wagner Santana, de 19 anos (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Além de Wagner, outra vítima dos crimes do final de semana passado, já considerado o mais violento do ano na capital e RMS, também era um homem negro, o vereador da cidade de Candeias pelo PP André Luiz Ferreira de Araújo, conhecido como Júnior CCA.

Wagner foi morto ao entrar em um bar perto de casa, na Boca do Rio, para comprar uma cerveja e parar para falar com amigos. Um grupo de homens invadiu o estabelecimento onde o rapaz estava  e começou a revistar as pessoas. Depois, o bando passou a atirar aleatoriamente.  A polícia acredita que os homens  que atacaram o bar eram de uma facção criminosa.

No caso da morte do vereador, o crime também aconteceu em um bar, onde ele estava com a mulher, que  foi baleada. Pessoas que passavam perto  ficaram feridas.

“Um elemento central para a gente entender a violência letal no Brasil é a desigualdade racial. Se alguém tem alguma dúvida sobre o racismo no país, é só olhar os números da violência porque traduzem muito bem o racismo nosso de cada dia”, afirmou, em agosto passado,  Samira Bueno, que dirige o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), entidade que faz o Atlas.

A  cultura da violência no Brasil está muito associada à cultura do racismo e mesmo os casos onde o tráfico é apontado como o grande culpado, as tensões raciais,  a desigualdade social e a certeza da impunidade se unem em uma sinistra equação.

Outros destaques da semana

Em Itapagipe, pessoas andavam sem máscara na orla na terça, 26 (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Relatório:  20% dos moradores de  Salvador  já tiveram  a covid-19

Um relatório epimiológico encomendado pela prefeitura de Salvador à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), divulgado na segunda-feira, 25, pelo prefeito Bruno Reis (DEM), indica que 20% da população da capital já contraiu o novo coronavírus. Ou seja, a estimativa é de que dos quase  3 milhões de habitantes da cidade, 600 mil já pegaram o novo vírus. 

O estudo também aponta que o número de contaminados na capital é bem maior do que os 122 mil soteropolitanos  diagnosticados com a doença. Para fazer a estimativa, as equipes da Fiocruz visitaram 12 distritos sanitários e 2.558 domicílios. Foram feitas, ainda, 400 entrevistas presenciais.

Nos 2.970 testes aplicados pelos pesquisadores, 604 pessoas foram identificadas com os anticorpos IgG, que indicam que a pesosa teve covid-19,  e IgM, quando a pessoa é diagnósticada com o vírus  durante o exame.

A pesquisa também mostrou  os bairros de Salvador  onde a população foi mais infectada pelo novo coronavírus. Os distritos sanitários de Itapagipe e Liberdade lideram o ranking do estudo. Ainda segundo os dados, 29% dos moradores de cada uma dessas regiões já tiveram a covid-19, com sintomas ou não. Em seguida aparece São Caetano (26%), Cajazeiras (25%) e Itapuã (22%).

Ônibus virou no Km 688 da BR-376 (Foto: PRF/Divulgação)

Acidente no Paraná

Um acidente com um ônibus em Guaratuba, na BR-376, na divisa entre o Paraná e Santa Catarina, deixou 19 mortos na segunda-feira, 25. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o ônibus com placa do Pará transportava 53 passageiros e dois motoristas, quando bateu e saiu da estrada, na altura do km 668 da rodovia. Além dos 19 mortos, outras sete pessoas foram internadas em estado grave e 26 tiveram ferimentos entre leves a moderados. De acordo com a  Polícia Civil, um dos motoristas do veículo, ouvido na quarta-feira, 27, disse no depoimento que havia assumido a direção cerca de 30 minutos antes do acidente. Durante a viagem, ele revezava a direção com o outro colega. O condutor afirmou ainda que percebeu um problema nos freios do ônibus e tentou usar a área de escape da rodovia, mas não conseguiu e perdeu a direção.

Educação infantil é a mais afetada por baixa de matrículas (Foto: Nara Gentil/CORREIO)

Escolas vazias

As escolas particulares de Salvador e Lauro de Freitas, na Região Metropolitana, tiveram queda de 70%, em média, nas matriculas para o ano letivo de 2021. Segundo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino da Bahia (Sinepe-BA), apresentados essa semana, somente 15% dos alunos da educação infantil estão de fato matriculados. A crise, dizem os gestores das escolas, afetou o quadro de funcionários. Além da indefinição sobre o começo das aulas pre- senciais, por conta dos altos índices da pandemia, as dificuldades financeiras têm feito as famílias adiarem a efetivação das matrículas.

BBB português fez apologia ao nazismo (Foto: Reprodução)

Brother nazista 

Um participate do Big Brother Portugal, Hélder Teixeira, foi expulso do programa na noite de quinta-feira, 28, após fazer a saudação nazista diversas vezes dentro da casa; além de dizer frases sexistas e homofóbicas em várias ocasiões ao longo do reality show. A expulsão de Hélder foi anunciada ao vivo. O brother expulso já havia participado de uma edição passada e estava em uma temporada especial com ex-integrantes.

Deborah Secco foi uma das protagonistas de Confissões de Adolescente (Foto: Reprodução/Instagram)

O que as celebridades disseram

“Eu não tive problema psicológico nenhum durante a adolescência, porque cada dia de gravação era uma sessão de terapia”, Deborah Secco

Em entrevista ao UOL, a atriz lembrou da época em que era uma das protagonistas da série ‘Confissões de Adolescente’, que ficou no ar entre 1994 e 1996. Ela afirmou que o programa, inspirado em livro homônimo de Maria Mariana, ajudava o elenco nas suas vidas pessoais