Geral

Ângelo Calmon de Sá deixa presidência do Conselho de Administração da OSID

Após 40 anos à frente do Conselho de Administração das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) e da Associação Obras Sociais Irmã Dulce, o ex-banqueiro Ângelo Calmon de Sá, 86 anos, pediu para se desligar da instituição.

Conforme o Alô Alô Bahia apurou, ele comunicou sua saída à OSID na última sexta-feira (12), através de uma carta. A informação foi comunicada, internamente, aos profissionais da instituição e também aos membros do Conselho, que nesta segunda (15) já empossou o seu substituto. 

Trata-se de José Joaquim Carvalho, que tomou posse dos cargos durante reunião por videoconferência com a participação de conselheiros da instituição; integrantes do Conselho Fiscal da OSID; da superintendente das Obras Sociais, Maria Rita Pontes; e da assessora jurídica da instituição, Camila Azi, segundo informou a assessoria da instituição.

Na carta, Calmon de Sá, que sempre foi um dos maiores mecenas do projeto filantrópico criado pela Santa Dulce dos Pobres (foto), de quem era amigo, não deu justificativas sobre o que motivou sua decisão de deixar os cargos, após quatro décadas. 

Ex-dono do extinto Banco Econômico, que sofreu intervenção em 1995, Calmon de Sá é engenheiro civil formado e também teve importante atuação na política nacional. Foi ministro da Indústria e Comércio durante o governo de Ernesto Geisel e secretário de Desenvolvimento Regional no governo de Fernando Collor de Mello.

Seu substituto nos cargos diretivos da OSID, o empresário José Joaquim Moraes de Carvalho Júnior, é membro do Conselho de Administração desde 1997. Veja como ficou a nova configuração.
 

Nova configuração do conselho da OSID