Geral Municípios

Apê mais caro de Salvador custa R$ 23 mi e fica em prédio de Bell Marques; veja fotos

Foto: Divulgação

No final do ano passado, enquanto procurava uma casa em Salvador, um ex-presidente visitou um apartamento na Mansão Wildberger, localizada no Corredor da Vitória. Ao entrar na unidade, o político ficou deslumbrado com a estrutura, luxo e vista para a Baía de Todos os Santos. Porém, um ponto o fez desistir da aquisição: o preço.

O ‘apê’ era vendido por R$ 10 milhões, valor considerado alto pelo ex-chefe de estado. Acontece que este preço nem era o maior dentro do próprio prédio. Alguns andares acima estavam as unidades mais cobiçadas, com 993 m² e no esquema “um por andar”.

Quanto custa? 
Sem choro, sai por R$ 23 milhões, o que faz do apartamento que toma todo o 39º andar da Mansão Wildberger o mais caro à venda em Salvador. A planta original do super apartamento tem sete suítes; salas de estar, TV e jantar; além da varanda suntuosa. Mas tudo isso pode ser alterado de acordo com o gosto do cliente.

“É uma sugestão da planta, mas a maioria dos clientes muda. Tiram, por exemplo, duas suítes para ampliar a sala ou deixar a suíte master com dois closets. Cada proprietário acaba contratando um outro arquiteto para fazer um projeto de acordo com a necessidade da família”, explica Arthur Pimentel (@tucapimentel), um dos corretores responsáveis pela venda do imóvel.

Veja mais fotos:

Já o prédio, tem infraestrutura completa. Além dos tradicionais spa, salão de jogos, de festa, quadra e piscina, também está sendo construído um deck interno para os moradores estacionarem suas lanchas na beira da baía. Um teleférico para ligar o prédio ao futuro atracador também está sendo estudado.

O empreendimento como um todo chama muita atenção. O projeto foi assinado por três dos maiores arquitetos do Brasil. A arquitetura ficou a cargo de Fernando Frank, que inclusive também tem um apartamento no edifício; David Bastos fez a decoração e Fernando Abbud foi o responsável pelo paisagismo. Um dos felizardos que podem chamar o local de “humilde residência” é o cantor Bell Marques.

São poucos os que podem bancar tamanho luxo. Para efeito de comparação, alguém que ganha R$ 10 mil por mês, salário que o colocaria entre os 1% mais ricos da Bahia segundo dados do IBGE, levaria 177 anos para comprar o imóvel caso juntasse tudo o que recebesse, incluindo 13º.

“Nós estamos falando de grandes empresários, artistas super renomados como o próprio Bell, jogadores de futebol que estão na China. Inclusive um grande número de chineses recentemente nos procurou interessados em imóveis de alto padrão, como esse, por conta da construção da ponte Salvador-Itaparica”, revela Arthur Pimentel.

Arthur é especializado em imóveis de alto padrão (Foto: Divulgação)

Segurança
Apesar de todo o luxo e glamour, o prédio virou notícia em novembro após um casal ter sido flagrado arrombando uma das unidades. Os proprietários estavam em viagem ao exterior no momento do crime.

O circuito interno indica que o homem usou provavelmente uma chave de fenda para arrombar a porta do apartamento. É possível ver que a mulher o ajuda iluminando a fechadura com o celular. Ao entrar, o homem pega um pano de prato na cozinha e cobre a própria cabeça para, possivelmente, dificultar o reconhecimento.

Após esse episódio, a segurança no prédio foi redobrada. Atualmente, um interessado no imóvel precisa, além de falar com o corretor, apresentar um documento provando que tem condições de adquirir a unidade. 

Além disso, o edifício tem sistema de monitoramento dos acessos e áreas principais por CFTV, e os donos inclusive têm acesso remoto às câmeras. A mansão tem ainda controle de acesso com cadastro de proprietários em banco de dados através de biometria digital.

As portas de acesso tanto do térreo quanto da área de serviço têm leitura biométrica e solicitação de senha.