Geral Política

Associação de golfe profissional desiste de campeonato em campo de Donald Trump


Campeonato de 2022 seria realizado em um campo das Organizações Trump no estado da Nova Jérsei. Diretores da associação do esporte se reuniram e decidiram que evento acontecerá em outro local, pois não querem que a entidade seja associada a Donald Trump. Donald Trump durante jogo de golfe em novembro de 2020
Joshua Roberts/Reuters
A associação de golfe profissional dos Estados Unidos decidiu no domingo (10) que não fará mais o campeonato do esporte de 2022 em um dos campos do presidente Donald Trump, como estava inicialmente programado.
O novo e polêmico papel do vice Mike Pence nos últimos dias de Trump na presidência dos EUA
Senador republicano pede renúncia de Donald Trump à presidência dos EUA
“O conselho de diretores da Associação de Golfistas Profissionais (PGA, na sigla em inglês) votou nesta noite para exercer o direito de acabar com o acordo para disputar o campeonato de 2022 no campo Trump Bedminster”, afirmou o presidente da associação, Jim Richerson, em uma rede social.
Bedminster fica no estado da Nova Jérsei, na costa leste dos EUA.
De sábado (9) para domingo (10), cresce apoio de parlamentares à saída de Trump do poder
Em um vídeo publicado no site da entidade, Richerson ainda disse que a organização sairia com a imagem prejudicada caso a sede do torneio fosse o campo de Trump.
O novo local ainda não foi divulgado.
“Ficou claro que fazer o Campeonato da PGA no Trump Bedminster seria prejudicial à marca da PGA e colocaria em risco a capacidade de manter os nossos programas e apoiar a longevidade da nossa missão”, disse ele.
Um representante das Organizações Trump afirmou que eles estavam “incrivelmente frustrados” com a decisão.
“Nós tivemos uma linda parceria com a PGA. Essa é uma quebra de contrato, e eles não têm direito de terminar com o acordo”, afirmou o representante.
De acordo com a organização, o grupo empresarial de Trump investiu milhões de dólares para que o campeonato fosse realizado em Bedminster.
Invasão do Congresso
A decisão foi tomada após o presidente dos EUA incentivar milhares de seus seguidores a ir até o prédio do Congresso dos EUA, onde a vitória de seu adversário, Joe Biden, estava sendo certificada.
Os apoiadores de Trump invadiram o edifício e forçaram a retirada dos parlamentares enquanto eles estavam em sessão.
Cinco pessoas morreram.
Vídeos mais assistidos do G1