Geral

Atores relembram ‘A Vida da Gente’, que será reprisada a partir de março

A partir de 1º de março, a Globo vai reexibir a novela “A Vida da Gente”, escrita por Lícia Manzo, no horário das 18h. A trama foi ao ar originalmente entre o fim de 2011 e o início de 2012, contando a história de Ana (Fernanda Vasconcellos), Manu (Marjorie Estiano) e Rodrigo (Rafael Cardoso). Desde então, era uma das novelas que a Globo mais recebia pedidos de reprise, segundo a emissora.

Marjorie Estiano diz que rever a novela será uma experiência especial. “Essa novela foi gravada há dez anos, e olhar para trás é sempre uma oportunidade de se reavaliar e compreender o seu momento presente. O texto da Lícia é existencial, são conflitos atemporais e por esse motivo vai ser interessante perceber se, passados dez anos, assumiríamos os mesmos posicionamentos de antes ou interpretaríamos as circunstâncias da mesma maneira. O que muda ou mudou, o que permanence”, avalia a atriz. 

Já Fernanda conta que ficou surpresa com a receptividade do público à notícia da reprise. “Essa novela me marcou de forma muito positiva. Não somente pela repercussão que ela teve, mas pela intensidade do processo. Eu esperava reações positivas, mas fui surpreendida. Que bom que o público está demonstrando desejo em rever novelas antigas, e melhor ainda, saber que essa novela deixou boas lembranças”, diz.

Marjorie lembra de um momento especial da trama, citando a atriz Nicette Bruno, que faleceu de covid-19.  “Entre tantos diálogos belíssimos, tem um trecho em que a personagem da Nicette, que vivia a vó Iná, fazia uma reflexão justamente sobre o tempo e a transformação que ele pode testemunhar. Acho que é a síntese da sensação de revermos a ‘Vida da Gente’”, diz. A atriz lembra com carinho de Nicette. “Tínhamos uma troca muito bonita, de muito acolhimento. Nicette era uma mulher muito interessante, uma pessoa que atravessava gerações. Ela tinha uma conexão muito clara e muito sensível com tudo, mesmo com as mudanças do mundo. Ela estava à frente de tudo o que estava acontecendo. Vê-la em cena foi um espetáculo que durante um ano eu tive o privilégio de acompanhar de perto”.

(Foto: Divulgação/Globo)

Fernanda por sua vez destaca como marcante uma discussão de oito minutos entre as irmãs. “Há um texto de imensa qualidade com uma gama de sentimentos que estavam guardados entre as personagens, provando por ‘A + B’ que ambas erraram ao longo da vida e que não havia vilã nessa história toda. Assim como na vida, ‘A Vida da Gente’ mostra que existem escolhas a serem feitas e que temos que arcar com as nossas decisões”. 

Paulo Betti, que viveu Jonas, pai de Rodrigo, conta que ficou marcado pelos bastidores da novela.. “Tenho recordações muito profundas das gravações. Das nossas conversas e de como aquilo era realmente a vida da gente. Essa novela é muito feliz pelo texto da Lícia e pela direção do Jayme (Monjardim). Acho que tinha um comprometimento geral, de cada um de nós, e isso foi muito marcante para mim”, diz o ator, que está ansioso para acompanhar a reexibição da história. “Agora estou com mais tempo, vou sentar para assistir à novela. Na época, eu me sentia tão envolvido vendo os colegas, que não tenho noção do que eu fiz em cena, vou assistir agora. E vamos ver como as pessoas vão enxergar o Jonas hoje, dez anos depois”, conta. 
 
Já Gisele Fróes, que viveu Sofia, diz que a entrega dos atores envolvidos foi muito especial . “Me lembro que era muito emocionante ver a dedicação e a concentração das meninas para as cenas que elas faziam. A Alice ainda era adolescente, saia do colégio e ia gravar. Me comovem essas lembranças do que a gente vivia nos bastidores. Era muito bonito”.

A própria Alice avalia que não tinha maturidade suficiente na época para entender tudo e está curiosa para reassistir a novela. “Eu não tinha maturidade na época para ver como era essa relação, como essa mãe oprimia a filha de todas as formas e se projetava nela. Me lembro de uma cena no vestiário em que a Vitória falava um monte de coisas duras para a Sofia. Era a primeira cena em que eu tinha que me emocionar e eu estava nervosa sobre como iria fazê-la. Mas, na hora de gravar, a Gisele começou a falar o texto e eu só ouvia e chorava naturalmente, de tão fortes que aquelas palavras eram”, relembra a atriz.

Autora da trama, Lícia Manzo falou um pouco de como tem ideias para história. “Desde criança, meu olhar sempre tendeu a ir para o micro, não para o macro. Sempre fui muito de observar o ambiente e captar o subjetivo das coisas. Essa é a matéria-prima que eu costumo lançar mão quando construo minhas narrativas dramáticas.  Acho que, mais que os acontecimentos, como o coma da Ana, ‘ A Vida da Gente’ trata da repercussão desses fatos sobre as pessoas. A matéria-prima da novela são as conversas – do Rodrigo com o tio, da Manu com a avó, da Ana com a Alice. As pessoas sempre procuram entender os seus sentimentos sobre o que está acontecendo. Nesse sentido, a trama segue oportuna e, talvez, até ainda mais neste momento”, afirma. 

Relembre a história
Ana (Fernanda Vasconcellos) e Rodrigo (Rafael Cardoso) conviveram como irmãos postiços durante boa parte da infância e adolescência, desde que Eva (Ana Beatriz Nogueira), mãe dela, e Jonas (Paulo Betti), pai dele, se casaram. No auge da juventude, se viram apaixonados, ao mesmo tempo em que, por ironia do destino, seus pais iniciaram um litigioso processo de separação. Apartados pelo ódio entre as famílias, Rodrigo e Ana são obrigados a um término precoce e devastador para ambos. 
 
Porém, um mês mais tarde, Ana, em pânico, descobre estar grávida depois do único encontro que teve com seu amor proibido. Eva, dominadora, não se conforma. Um possível neto ameaçaria o sustento de toda a família, já que Ana – tenista promissora, com títulos e troféus – é contratada por uma poderosa empresa de artigos esportivos para representar a imagem publicitária de juventude, disciplina e saúde.   

(Foto: Estevam Avellar/Globo)

Ana cede então à chantagem da mãe, pensando também na irmã Manuela (Marjorie Estiano). O plano de Eva é que elas façam uma viagem – período suficiente para a gestação e o nascimento do bebê – voltando em seguida. A bebê, Júlia (Jesuela Moro), suposta nova irmãzinha de Manuela e Júlia, será apresentada como filha de um caso de Eva no Exterior. Preocupada com o sustento da filha/irmã, Ana volta a treinar e retoma a carreira de tenista.
 
Mas os conflitos entre Ana e a mãe se acirram e as discordâncias sobre a criação de Júlia são cada vez maiores. Exasperadas com a tirania da mãe, Ana  e Manu  – mais que irmãs, amigas como jamais se viu – decidem procurar a avó, a doce Iná (Nicette Bruno), em Gramado, onde pretendem se estabelecer e criar Júlia. As irmãs partem em segredo com a pequena. No caminho, elas sofrem um acidente de carro, e Ana entra em coma profundo. Segundo os médicos, irreversível.
 
À beira do leito da amada, Rodrigo, arrasado, confessa seu amor. A cena destrói o coração de Manu que, num ímpeto, revela ao rapaz toda a verdade: Júlia é filha dele com Ana. Revoltada com a filha por ter revelado o segredo ao ex-enteado, Eva expulsa Manu de casa. Na casa de Rodrigo, a situação não é diferente: Jonas, pai autoritário – empenhado em fazer do filho seu sucessor nos negócios da família – o ameaça: ou o rapaz desiste de desgraçar a própria vida, atrapalhando estudos e a carreira para assumir sozinho, antes dos vinte anos, a paternidade de uma criança – ‘e ainda por cima filha de quem é!’ – ou o faça longe dali! 
 
Rodrigodecide sair de casa. Sem dinheiro ou perspectiva profissional, leva consigo a filha pequena. E vão morar com vó Iná (Nicette Bruno), com quem Manu também está vivendo. Assim, os dois jovens passam a cuidar de Júlia. Guiados pelo amor comum a Ana, prosseguem compartilhando cada dificuldade e cada pequena alegria, lutando para dar à menina o que Ana certamente lhe daria, se não estivesse inerte sobre a cama. Mais do que ampará-los, Iná dá força para que Manu invista num relacionamento com Rodrigo.
 
A história salta quatro anos. Júlia está crescida, alegre e seguramente amparada pelos ‘pais’, Rodrigo e Manu, que, agora casados, conseguiram prosperar. Tudo parece caminhar a contento, até que uma reviravolta muda o rumo dos acontecimentos: Ana acaba de despertar. 
 
De volta a partir de 1º de março, ‘A Vida da Gente’ é escrita por Lícia Manzo, com direção geral e de núcleo de Jayme Monjardim. A novela traz ainda no elenco Regiane Alves, Gisele Froes, Maria Eduarda de Carvalho, Malu Galli, Angelo Antonio, Stenio Garcia, Alice Wegmann, Julia Almeida, Sthefany Brito, Leona Cavalli, entre outros.