Saúde

Autoridade de saúde do Chile aprova vacina de Oxford para pessoas com mais de 18 anos


Esse é o terceiro imunizante liberado para a aplicação no país, depois dos da Pfizer/BioNtech e Sinovac. Ampola da vacina da AstraZeneca em foto ilustrativa feita em 11 de janeiro de 2021
Ilustração/Dado Ruvic/Reuters/Arquivo
O Instituto de Saúde Pública (ISP) do Chile aprovou, nesta quarta-feira (27), a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica britânica AstraZeneca.
Essa é a terceira aprovação no país que recebeu uma autorização especial pela “urgência sanitária”. Antes, as vacinas da Pfizer/BioNTech e da Sinovac já haviam sido liberadas no Chile.
Uma comissão de 12 especialistas votou a favor da aplicação da vacina e definiu que ela deverá, neste momento, ser destinada apenas para pessoas com mais de 18 anos e deve ser aplicada em duas doses, com intervalo de 28 dias.
Heriberto García Escorza, diretor do Instituto, disse em entrevista coletiva que o imunizante é seguro e eficaz e que o comitê de especialistas concluiu que a vacina tem 64% de eficácia contra a Covid-19.
“Não podemos estar mais contentes por ter conseguido uma terceira vacina para o Chile”, disse García.
O Chile encomendou cerca de 6 milhões de doses da vacina da AstraZeneca, no entanto, o diretor do ISP disse que não há ainda uma data para sua chegada. Além dessas, o país já tem ao menos 30 milhões de doses contratadas – para cerca de 18,7 milhões de habitantes.
VÍDEOS com novidades sobre a vacina