Geral

Com UPAs cheias, Salvador vai transferir pacientes com covid para UBSs

UBS de Pirajá será exclusiva para tratamento de covid (Foto: Valter Pontes/Secom)

O aumento no número de pessoas infectadas com o novo coronavírus que precisam de leitos, em Salvador, levou a prefeitura a adotar uma medida extrema. Quatro Unidades Básicas de Saúde da Família (UBS) serão transformadas em espaços exclusivos para atendimento de casos de covid-19. A estimativa é de que os pacientes comecem a ser transferidos das UPAs para esses locais a partir de quinta-feira (4). 

Em entrevista coletiva transmitida pela internet, o prefeito Bruno Reis disse que a cidade amanheceu, nesta segunda-feira (1º), com 36 adultos e uma criança aguardando por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e com outros 52 adultos e uma criança na fila para conseguir uma acomodação de enfermagem. 

Para tentar amenizar a situação, as UBSs do IAPI, Itapuã, Pirajá, e Imbuí serão transformadas em unidades específicas para atendimento covid, com funcionamento 24h. Elas receberão pacientes que precisam de leitos de enfermaria. 

“Na semana passada, nós tínhamos transformado as salas de odontologia em locais para receber pessoas com covid. Cada uma delas conseguia internar até três pessoas. Agora, nós estamos ampliando isso. Nós vamos transformar a unidade básica de saúde toda em uma unidade exclusiva covid. Essa é uma medida inédita, mas que precisa ser tomada diante da necessidade”, afirmou o prefeito. 

A intenção é diminuir a pressão sobre as UPAs. As medidas de isolamento adotadas pela prefeitura, na semana passada, com o fechamento de praias e parques, e pelo governo do estado, no último fim de semana, com a suspensão de todas as atividades não essenciais na cidade, ainda não puderam ser avaliadas. É preciso 15 dias para sentir os efeitos. As duas medidas já foram prorrogadas. 

Para o auxiliar de serviços gerais Antônio Santos, 29 anos, a decisão de transformar as unidades básicas de saúde em locais de atendimento para covid é uma notícia triste, mas que pode ter um efeito positivo sobre a parcela da população que estão sendo negligente nos cuidados. Ele trabalha em um hospital particular de Salvador e contou que está assustado com o que tem visto nos últimos dias. 

“O número de pacientes com covid cresceu muito. No ano passado também houve momentos de pico, mas dessa vez é diferente, está tudo lotado. Eu estou ficando com medo de ir trabalhar. Talvez essa decisão faça as pessoas acordarem para o perigo”, disse. 

No fim de semana, quatro hospitais particulares de Salvador atingiram 100% da ocupação dos leitos: Hospital da Bahia, Aeroporto, Jorge Valente, e Santa Izabel. Outras quatro unidades privadas estão próximas de chegar ao limite: Hospital Português (96% de ocupação), Aliança (98%), Cardiopulmonar (95%), e São Rafael (94%).