Geral

Contra o aquecimento global, Bill Gates financia projeto para criar “filtro solar”

Um projeto da Universidade de Havard, nos Estados Unidos, pretende dificultar a chegada de luz solar na terra para conter o avanço do aquecimento global, criando uma espécie de filtro que reduziria a chegada de luz solar na terra. De acordo com a revista Forbes, o projeto é financiado pelo bilionário Bill Gates, fundador da Microsoft.

O projeto tem o nome de ScoPEx, sigla para Experimento de Perturbação Controlada Estratosférica. A ideia dos cientistas é usar um aerossol na atmosfera para dissipar a quantidade de luz do sol que incide sobre a terra. Isso seria feito com uma poeira não tóxica de carbonato de cálcio na atmosfera. De acordo com o projeto, com a poeira, parte da luz solar seria refletida de volta para o espaço.

Projeto quer usar poeira para reduzir temperatura da terra (Foto:Divulgação/Havard)

De acordo com os pesquisadores, o “filtro” de poeira poderia reduzir a temperatura global em 1,5ºC a um custo de 1 a 10 bilhões de dólares por ano. O projeto se baseia no efeito provocado por vulcões, que quando entram em erupção liberam poeira que, na atmosfera, baixam a temperatura da terra. Em 1991, a erupção do Monte Pinatubo, nas Filipinas, reduziu a temperatura média global em 0,5ºC.

Em junho deste ano será feito o primeiro teste com o experimento. Um balão carregado com equipamentos científicos será liberado no céu da Suécia. No entanto, ainda não será a poeira não tóxica, e sim um teste para identificar a capacidade de comunicação e operação do projeto.

Ainda segundo a Forbes, SCoPEx conta com a desaprovação de parte da comunidade científica, que acredita que o uso da tecnologia pode ter efeito contrário e causar mudanças climáticas extremas. Além de incentivar que governantes não tomassem medidas para conter o avanço do aquecimento global. Outra crítica ao projeto é pelo fato de ainda não existir uma definição sobre qual seria a quantidade ideal do aerossol para causar o efeito desejado.