Geral

Destaque no Anuário de Arquitetura e Decoração, Elano Passos inaugura exposição

Thiago Araújo, Elano Passos e Victor Andrade

O artista plástico Elano Passos é destaque na 18ª edição do Anuário de Arquitetura e Decoração da Bahia, sendo o primeiro a ter uma arte criada especificamente para a capa da publicação. O anuário foi lançado na sexta (23), em evento na área verde do Catussaba Resort. Além disso, ele inaugurou uma mostra na Tria Galeria.

A publicação conquista a maioridade, reunindo os mais importantes nomes do mercado de arquitetura e design de interiores do estado. São 50 arquitetos e designers de interiores, 21 lojas de decoração e 27 empresas de serviços. Além da capa, Elano também ocupa duas páginas duplas dentro do livro.

“O anuário é uma importante vitrine, por isso, para mim é uma honra ter sido escolhido para ser capa de uma edição tão especial, que traz nomes que eu admiro e me inspiro na arquitetura baiana”, conta Elano Passos. 

Para sua mostra na Tria Galeria, Elano criou uma série exclusiva de telas feitas com olhar voltado para decoração de ambientes e em sintonia com o momento de isolamento social, em que a casa virou um lugar ainda mais íntimo e acolhedor. “Criei um conceito mais robusto, com telas maiores, que preenchem o ambiente e trazem esse olhar de abraço para o lar, de pertencimento e identidade”, explica o artista. 

Capa do anuário (Foto: Divulgaçao)

Para Thiago Araújo, sócio da MKTConsult, que assina a publicação do Anuário, a parceria com Elano foi uma decisão acertada. “Ele conseguiu traduzir com seus belos traços a essência da nossa moradia e tudo o que está em seu entorno. Nesse período que estamos passando, mais do que nunca, dentro das nossas residências, o significado de moradia passa a ser mais amplo, e tudo isso ficou muito bem refletido na profundidade da arte de Elano”, afirma o empresário.

Elano assina alguns projetos de destaque, como a exposição permanente “Salvador – Traços e Olhares”, no Aeroporto de Salvador, a intervenção “Andar com Fé e Axé”, pela qual artistas brasileiros deixaram sua arte nos corredores dos andares do Hotel Pestana São Paulo, além da primeira obra do Memorial Irmã Dulce, com o nome “Santa Dulce dos Pobres”.