Geral

Dinossauro da Patagônia pode ter sido a maior criatura terrestre da história

Fósseis de um novo dinossauro que poderia rivalizar com a maior espécie terreste conhecida estão sendo desenterrados do solo da província de Neuquén, noroeste da Patagônia, Argentina. Os ossos encontrados foram identificados como pertencentes a um Titanossauro. Os paleontólogos responsáveis pela ocorrência não encontraram o esqueleto completo do animal, mas pelas vértebras e ossos pélvicos escavados do local é possível medir sua dimensão.

O parente mais próximo do animal é o Andessauro, um tipo de “titanossauro superdimensionado” que existiu durante o período Cretáceo, entre 83 e 65 milhões de anos atrás, na América do Sul e chegava a ter 18 metros de comprimento. Porém, os fragmentos fossilizados indicam que o novo Titanossauro era maior, pesava quase 60 toneladas e tinha mais de 31 metros de comprimento.

Em estudo publicado na revista científica Cretaceous Research no dia 12 de janeiro, pesquisadores sugerem que o animal é parte da família dos dinossauros saurópodes, que tinham pescoços e caudas imensamente longos, além de pernas em forma de colunas. Esta família herbívora estava espalhada pelo planeta e seus restos fossilizados foram encontrados em todos os continentes da Terra.

Os primeiros achados relacionados ao Titanossauro foram descobertos na Patagônia em 2013 e anunciados em 2014. À época, pesquisadores afirmaram que “Dado o tamanho desses ossos, que superam qualquer um dos animais gigantes anteriormente conhecidos, o novo dinossauro é o maior animal conhecido que já andou na Terra”.