Geral

Empresas brasileiras negociam compra de vacinas para funcionários e familiares

Um grupo de pelo menos 12 empresas brasileiras está negociando uma autorização especial com o governo federal para que importem 33 milhões de doses da vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca. De acordo com o plano das firmas, metade das doses seriam doadas ao Sistema Único de Saúde (SUS) e metade ficaria para funcionários e familiares das empresas.

Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo, as empresas seriam as seguintes: Vale, Gerdau, JBS, Oi, Vivo, Ambev, Petrobras, Santander, Itaú, Claro, Whirlpool e ADN Liga. Por ora, as tratativas ocorrem diretamente com o Ministério de Saúde, visando que a pasta edite um ato que permita a liberação das importações.

O planejamento é que o número de empresas envolvidas no acordo aumente, com cada uma recebendo a quantidade equivalente comprada, visando garantir a imunização de pelo menos parte de suas equipes de trabalho, garantindo a manutenção das atividades. Fechando o acordo, as doses da vacina podem chegar ao Brasil ainda em fevereiro, custando US$ 23,79 cada.

A motivação para essa atitude, segundo os empresários, foram os entraves enfrentados pelo governo federal para importar vacinas e insumos. Além das negociações com o Ministério da Saúde, as empresas também encontram-se em conversas com a própria AstraZeneca, através da empresa Dasa, gestora de laboratórios e hospitais.