Geral

Ensalamento das provas do PSS para contratação de professores temporários é divulgado; confira


Provas estão previstas para o próximo domingo (10), de forma presencial em cidades-sede dos 32 Núcleos Regionais de Educação (NREs). Segundo a Seed, cerca de 40 mil inscritos estão aptos a realizar a prova. Governo prevê a contratação de 4 mil professores
Reprodução/RPC
A organização do Processo Seletivo Simplificado (PSS) para contratação de professores temporários na rede de ensino do Paraná divulgou nesta segunda-feira (4) o ensalamento das provas.
A avaliação está prevista para o próximo domingo (10), de forma presencial nas cidades-sede dos 32 Núcleos Regionais de Educação (NREs).
Confira o ensalamento das provas do PSS
Inicialmente, as provas do PSS estavam marcadas para dezembro, mas foram adiadas duas vezes diante da pandemia do novo coronavírus.
CORONAVÍRUS NO PARANÁ: Veja as principais notícias
De acordo com a Secretaria Estadual da Educação (Seed), são esperados cerca de 40 mil candidatos aptos a realizar a prova.
O edital prevê a contratação de 4 mil professores temporários que deverão atuar na rede estadual de educação em 2021. Segundo a secretaria, os salários dos selecionados podem chegar a até R$ 3.720.
O governo estadual informou que serão tomadas medidas de segurança contra a Covid-19, como a obrigatoriedade do uso de máscaras e a higienização prévia das salas.
Os locais de prova terão álcool gel disponibilizado e todas as pessoas terão verificação de temperatura na entrada.
Pedidos de adiamento
Por conta dos riscos da prova presencial em meio à pandemia, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) chegou a entrar no caso e recomendar a suspensão do processo.
Os promotores pediram também para que fossem suspensas as eleições para diretores de colégios estaduais, o que foi acatado pela 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba.
Protestos contra a prova
A inclusão de uma prova de conhecimentos no PSS foi alvo de protestos por parte da categoria em 2020.
Professores e a APP-Sindicato, que representa a categoria, pediram a suspensão do edital, alegando serem contrários ao formato de seleção do processo com prova escrita como critério de seleção e a cobrança de inscrição.
Eles ocuparam a sede da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) e um grupo chegou a fazer greve de fome em frente ao Palácio Iguaçu, sede do governo do estado.
VÍDEOS: Pandemia do novo coronavírus no Paraná
Veja mais notícias do estado em G1 Paraná.