Geral

EUA ampliam vacinação contra Covid para todos a partir de 16 anos


Mais de 205 milhões de doses já foram aplicadas no país, que é responsável por 23% de todas as vacinas contra a Covid-19 administradas no mundo. Freeson Wong, de 31 anos, tira selfie enquanto recebe uma dose da vacina contra Covid-19 da Moderna, em 12 de abril de 2021, no bairro de Chinatown de Los Angeles
Jae C. Hong/AP
Todos os jovens e adultos podem receber vacinas contra a Covid-19 nos Estados Unidos a partir desta segunda-feira (19), com a inclusão dos americanos entre 16 e 30 anos. Essa é a última etapa para expandir a vacinação em todos os estados do país.
Mais de 205 milhões de doses já foram aplicadas no país, segundo o “Our World in Data”. Os EUA lideram o ranking de vacinação e são responsáveis por 23% de todas as vacinas administradas no mundo. Na sequência vêm China (188 milhões) e Índia (122 milhões).
VEJA TAMBÉM: Índia bate recorde de casos de Covid pela 13ª vez em 15 dias
Maior produtor mundial de vacinas pede a Biden que encerre embargo de matérias-primas
Mais de 131 milhões de pessoas já receberam ao menos uma dose no país, segundo dados dos Centros de Prevenção e Controle de Doenças (CDC). Isso equivale a quase 40% dos 331 milhões de americanos.
Mais de 82 milhões já foram imunizados completamente (com duas doses das vacinas da Pfizer ou da Moderna ou uma dose do imunizante da Johnson & Johnson, que é de dose única), o equivalente a 24% da população.
Desde que o presidente dos EUA, Joe Biden, assumiu o cargo, a vacinação contra a Covid-19 ganhou impulso e velocidade no país. O país saltou de uma média de 300 mil pessoas vacinadas por dia no início de janeiro para mais de 3 milhões atualmente.
Os EUA são o país com mais mortes (567 mil) e casos confirmados (31,6 milhões) do mundo.
Quem pode se vacinar e como funciona
A vacinação começou com os grupos de risco : idosos, profissionais de saúde e trabalhadores essenciais. Em seguida, foi ampliando os critérios. As regras são estaduais e variam bastante. Esse mês, diversos estados começaram a permitir a vacinação de jovens. A partir desta semana, esse grupo pode receber o imunizante em qualquer região do país.
Se os EUA são conhecidos por um sistema de saúde que pratica tarifas proibitivas e endivida famílias inteiras, na vacinação contra a Covid-19 isso é diferente. Ela é gratuita, mesmo quem não tem seguro saúde, não paga nada. O status migratório também não importa para receber o imunizante, basta ter um comprovante de residência no país.
Nova York, ex-epicentro da pandemia, está entre os quatro estados americanos onde a vacinação avança mais rápido. A vacina pode ser agendada online ou por telefone. É possível escolher dia, local, hora e qual vacina, de acordo com a disponibilidade.
Eu já tomei a primeira dose no Javits Center, um espaço de feiras e congressos em Nova York, que foi convertido em centro de imunização. Militares estão presentes no local para apoiar a aplicação do imunizante. Tudo aconteceu sem atrasos ou aglomerações.
Segundo um estudo da Pew Research publicado em março, mesmo com grande polarização sobre a necessidade de medidas de isolamento, a maioria dos americanos acredita que a vacinação vai trazer benefícios para a economia.
Comparação com outros países
Os Estados Unidos estão no topo da lista dos países que administraram a maior quantidade de doses de vacinas contra a Covid-19 até o momento, seguidos da China e da Índia. O Brasil aparece em quinto lugar nesse ranking, de acordo com as informações coletadas pelo Our World in Data.
Já em relação a porcentagem da população vacinada, os Estados Unidos ficam na décima primeira posição, atrás do Chile e de Israel, por exemplo, onde o número de habitantes é significativamente inferior ao americano.