Geral

Família procura por arquiteto desaparecido há dois dias no litoral de SP


Desaparecimento foi registrado na Delegacia de Mongaguá e segue sendo investigado pela Polícia Civil. Raífe Ferreira está desaparecido desde a noite de terça-feira (12), após sair de casa em Mongaguá, SP
Arquivo Pessoal
A Polícia Civil investiga o desaparecimento do arquiteto Raífe Ferreira da Silva, de 24 anos, morador de Mongaguá, no litoral paulista. Segundo relatou a família do jovem ao G1 nesta quinta-feira (14), a última vez que os parentes tiveram contato com ele foi na noite de terça-feira (12), quando ele disse que iria até a cidade de Santos. Porém, um radar teria registrado a placa do carro do rapaz na cidade de Pedro de Toledo, no Vale do Ribeira.
De acordo com o comerciante Manoel Ferreira da Silva, pai do arquiteto, na terça-feira, por volta das 18h30, ele estava indo caminhar quando perguntou ao filho se ele iria sair. “Ele disse que iria a Santos. Sempre estava na cidade, porque trabalhava bastante nessa região. Falou que voltaria quarta de manhã. Fui caminhar, e quando cheguei, por volta das 19h15, ele já não tinha saído”, relembra.
De acordo com o pai, por volta das 19h30, a mãe do jovem mandou mensagem ao filho, e cerca de 15 minutos depois, ele teria respondido que estava tudo bem. “Só disse isso, que estava tudo bem. Ficamos tranquilos, mas, na quarta de manhã, ele não apareceu. Liguei e só dava caixa postal. Então, começamos a ficar preocupados”, diz o comerciante.
A mãe do rapaz, então, ligou para uma amiga dele que mora em Santos, e ela relatou que o arquiteto não esteve lá. Um policial conhecido da amiga do arquiteto consultou a placa do carro dele e informou à família que o veículo passou por um radar em Pedro de Toledo, no interior paulista.
“O que é mais estranho é que ele não tinha amizade ou negócios em Pedro de Toledo. E ele nunca havia sumido, saía mesmo apenas a trabalho. Estamos muito preocupados, a última vez que ele viu o celular foi às 22h40 de terça. Hoje eu fui até Pedro de Toledo, e amanhã vou de novo procurá-lo por lá”, acrescenta o pai.
O caso foi registrado como desaparecimento na Delegacia Sede de Mongaguá e segue sob investigação da Polícia Civil. De acordo com o pai, ele também compareceu à Delegacia de Pedro de Toledo, e os policiais também fazem buscas pela região.
VÍDEOS: As notícias mais vistas do G1

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário