Geral

Governo paulista fez mais de 1,6 milhão de testes de Covid-19 do tipo RT-PCR em 2020


Novembro e dezembro foram os meses com mais testes absolutos coletados na rede pública, com crescimento de 37% nas testagens, segundo primeira atualização do ano feita pelo governo estadual. Percentual de testes que tiveram resultado positivo também aumentou. Testes de Covid-19 aumentam em dezembro
Mais de 1,6 milhão de testes gratuitos do tipo RT-PCR foram realizados pela plataforma de laboratórios mantida pelo governo de São Paulo entre fevereiro e dezembro de 2020, segundo os dados divulgados na primeira atualização do ano do Placar de Testes da gestão estadual, feita na segunda-feira (11).
Nos meses de novembro e dezembro o estado registrou os números de testagem mais altos desde o início da pandemia. Entre outubro e novembro, houve um aumento de 37%. Em dezembro, a alta foi de 14,75%, chegando a pelo menos 299.743, número que ainda podem aumentar marginalmente, por causa de possíveis atrasos de notificação.
No entanto, mesmo com um número maior de amostras coletadas, a porcentagem de testes que deram resultado positivo também aumentou.
Em outubro, essa taxa foi de 22%. Em novembro, subiu para 28%. Já em dezembro, 35% dos testes voltaram positivo para a presença do novo coronavírus.
Novembro e dezembro foram os meses com o maior número de testes RT-PCR desde o início da pandemia.
Ana Carolina Moreno/TV Globo
Segundo Lorena Barberia, professora de ciência política da Universidade de São Paulo, coordenadora científica da Rede de Pesquisa Solidária e participante do Observatório Covid-19 BR, preocupa o fato de que mais de um terço dos testes coletados deram resultado positivo.
“Isso é importante para a população entender: A Organização Mundial da Saúde pede como um norte a gente ter uma taxa de positividade de 5%. Por quê 5%? Está dizendo: Você está testando tão intensamente a população que você só está achando poucos casos positivos. Por isso que o menor valor é melhor”, diz Barberia.
A situação do estado de São Paulo nunca esteve perto dessa meta recomendada pela OMS. “A gente está longe de 5%, e nós temos que lembrar que, se comparamos novembro com dezembro, piorou. Estávamos com 27% em novembro. Em dezembro, fizemos mais testes em volume, mas a positividade aumentou.”
Mais de um terço dos testes coletados em dezembro (35%) deram resultado positivo; segundo a OMS, o indicado é que a taxa fique abaixo de 5%
Ana Carolina Moreno/TV Globo
Problemas na divulgação
As informações da testagem com RT-PCR na rede pública, até 14 de dezembro, eram atualizadas diariamente. Mas, nos últimos 30 dias, só houve uma atualização, justamente na segunda. A Secretaria Estadual da Saúde (SES-SP) afirmou, em nota, que o sistema está passando por uma “compatibilização” e que voltará a divulgar dados diários da testagem nos laboratórios públicos.
O órgão disse ainda que segue o protocolo de testagem do Ministério da Saúde, que “prevê a priorização da testagem de pessoas sintomáticas, e cabendo às Vigilâncias municipais o rastreamento e monitoramento de confirmados e contactantes a fim de conter cadeias de transmissão”.
A nota afirma também que as principais medidas de prevenção são “o cumprimento das regras sanitárias, com uso de máscara e distanciamento social” (leia a íntegra da nota ao fim da reportagem).
São Paulo ainda testa pouco
Lorena Barberia afirma que é uma boa notícia a expansão recente de testes realizados na rede pública de São Paulo, mas que, em termos relativos, 300 mil testes em um mês ainda é um número muito baixo, considerando a população de 44 milhões de habitantes.
“A gente tem que comemorar, mas temos que lembrar que o que o estado de São Paulo fez de testes em dezembro é o que faz o estado de Nova York em um dia e meio”, afirmou ela. “Se nós queremos controlar a pandemia, nós queremos ir atrás das pessoas que estão com a capacidade de transmitir para outras pessoas.”
Íntegra da nota do governo de SP
“Desde o início da pandemia, SP já realizou mais de 8,1 milhões de testes para diagnóstico da COVID-19. Destes, mais de 1,6 milhão do tipo RT-PCR foram feitos na rede pública, com aumento expressivo de 37% de outubro para novembro, e de 14% de novembro para dezembro de 2020.
O protocolo definido pelo Ministério da Saúde prevê a priorização da testagem de pessoas sintomáticas, e cabendo às Vigilâncias municipais o rastreamento e monitoramento de confirmados e contactantes a fim de conter cadeias de transmissão, sendo as principais medidas de prevenção o cumprimento das regras sanitárias, com uso de máscara e distanciamento social.
A compatibilização de dados do Placar de Testes/SIMI está em andamento e a atualização diária da plataforma será retomada até a próxima semana. Quaisquer suposições sobre os dados de testagem referentes a dezembro não são adequadas, uma vez que os dados disponíveis são preliminares e são atualizados conforme envio dos laboratórios.”
VÍDEOS: Veja mais sobre SP e Região Metropolitana
e

Adicionar comentário

Clique aqui para postar um comentário