Geral

Grupo distribui maconha grátis em NY para vacinados contra Covid


Movimento “Joints for Jabs” (um baseado por uma vacina, em tradução livre) entrega cigarro com a droga para quem apresenta a carteira de vacinação. Uso recreativo é legal no estado. Dolly Spigner (à direita) ganha um baseado de maconha do movimento “Joints for Jabs”, que distribui cigarros com a droga para quem apresentar a carteira de vacinação em NY
Mark Lennihan/AP
Ativistas pela legalização da maconha fizeram na terça-feira (20) o movimento “Joints for jabs” (‘um baseado por uma vacina”, em tradução livre), para dar um cigarro com a droga para pessoas que se vacinaram contra a Covid-19 em Nova York, nos Estados Unidos.
A ideia era comemorar a legalização da maconha recreativa no estado de Nova York e, ao mesmo tempo, apoiar a campanha de vacinação contra o novo coronavírus no dia 20 de abril.
A data (4/20 em inglês) foi escolhida por ser uma espécie de “feriado não oficial” da droga, pois a expressão “4:20” é uma referência à maconha.
O uso recreativo da maconha por adultos em Nova York foi legalizado em 31 de março deste ano. Com isso, o estado se tornou o 15º do país (além do distrito de Columbia) a liberar o consumo da cannabis.
Homem com fantasia de cannabis distribui cigarros de maconha durante o evento “Joints for Jabs”, em 20 de abril de 2021, em Nova York
Mark Lennihan/AP
1,5 mil baseados em 5 horas
“Esta é a primeira vez que podemos sentar legalmente e distribuir baseados”, disse Michael O’Malley, um dos organizadores do evento, enquanto distribuía cigarros da erva já preparados na véspera.
“Apoiamos o esforço de vacinação do governo federal e também estamos tentando legalizar a cannabis em nível federal”, afirmou O’Malley.
Foram distribuídos entre 150 e 200 baseados apenas na primeira meia hora. Ao todo, foram 1,5 mil cigarros.
A distribuição começou por volta das 11h (horário local) na Union Square e durou cerca de cinco horas, formando uma fila de dezenas de pessoas, de jovens a idosos.
A espera era curta: cerca de dez minutos ao sol, o suficiente para mostrar a carteira de vacinação no papel ou no telefone e fornecer um endereço de e-mail.
Pessoas mostram seus cartões de vacinação contra a Covid-19 para receber um baseado de maconha em troca em Nova York, nos Estados Unidos, em 20 de abril de 2021
Mark Lennihan/AP
Carteira de vacinação até da mãe
Sarah Overholt, de 38 anos, saiu com dois baseados no bolso depois de mostrar seu cartão de vacinas e o de sua mãe de 70 anos. “Todos deveriam se vacinar, a erva não deveria ser necessária para convencer as pessoas a fazê-lo”, afirmou Sarah. “Mas, se funcionar, melhor”.
Para ela, a maconha e a vacina são igualmente indispensáveis. “Eu fumo todos os dias e isso me torna uma pessoa melhor, acredite em mim”, afirmou sorrindo.
Alex Zerbe, de 24 anos, trabalha como corretor da bolsa e foi do escritório até a praça apenas para prestigiar o evento. Ele já recebeu suas duas doses e disse que a ideia de receber um baseado como prêmio por ser vacinado “é muito boa”.
Diversas empresas, principalmente da indústria alimentícia, lançaram nas últimas semanas promoções relacionadas à vacina contra a Covid-19: bolinhos fritos, cachorros-quentes ou cervejas são oferecidos em várias partes do país para pessoas que comprovarem ter sido vacinadas.
VÍDEO: novidades sobre vacinas contra a Covid-19