Geral

Idosos surpreendem e aparecem de bike pra tomar vacina em Salvador

Carlos e Maria do Carmo foram de bicicleta para drive

Na fila de carros que ia da entrada do Centro de Convenções Salvador até o Jardim de Alah, o idoso Caio Grato Senna Guimarães Moreira, 60 anos, chamava a atenção. É que ele foi de bicicleta para a fila da vacinação. A empolgação dele era tanta que contagiou os vacinadores. Caio, com sua bike e jeito jovial, contou que estava animado para se vacinar. “Tava até querendo esperar a dose única, mas pode acontecer alguma coisa, então vim logo”, explica. Ele não foi o único a chegar de bike no drive thru da vacinação do Centro de Convenções na manhã de domingo (18). Logo após,  chegaram Carlos e Maria do Carmo. Ele pedalando e ela na garupa.

O casal não passou despercebido. Prova disso é que os funcionários pediram para tirar fotos e filmar o senhor de 63 anos e sua namorada, de 57, que foram se vacinar com uma bicicleta emprestada. “Viemos aqui outro dia, mas falaram que não vacinavam ninguém a pé, aí arranjamos uma bicicleta com um conhecido”, menciona seu Carlos.

Ele contou que pensou em esperar por sua parceira, mas que dona Maria do Carmo sugeriu que ele se protegesse logo. “Falei pra ele se vacinar  logo. Mas daqui a pouco já sou eu”, completa, animada. Seu Carlos acatou a sugestão da sua parceira por já ter 63 anos. Mas ele garante que vai voltar no local quando chegar a vez dela.

O casal conquistou ainda mais as vacinadoras quando dividiu sua história de amor. Eles contam que vivem um amor que é fruto da pandemia. Carlos e Maria do Carmo se conheceram durante o momento do isolamento e, por isso, passaram um mês sem se ver, apenas se falando no telefone todos os dias. E desde que se encontraram, querem ficar sempre juntos. Hoje, por exemplo, ela foi para filmar a vitória do companheiro se vacinando. “Eu vim pra fazer um vídeo dele tomando a vacina. É um momento de muita alegria”, acrescenta.

Caio Grato Senna chegou de bicileta (Foto: Nara Gentil)

Animação que contagia
É nesta mesma atmosfera de alegria que os profissionais de saúde recebem as pessoas. Seja para acalmar os mais ansiosos ou celebrar com os animados, os vacinadores ajudam a criar o clima de esperança e alegria nos locais de vacinação. Dona Antônia Souza, por exemplo, chegou ao drive de imunização com medo da agulha. A vacinadora conversou com ela, explicou o procedimento e acalmou a senhora. “Mas já acabou?”, perguntou dona Antônia quando percebeu que já havia tomado a vacina. E mesmo apreensiva, ela estava animada para ser vacinada – até se ofereceu para sair do carro com o intuito de facilitar a vacinação.

Assim como dona Antônia, milhares de pessoas que passam diariamente nos pontos fixos e drives thru da cidade precisam desse contato cuidadoso. Maria das Graças Bispo dos Santos conta um pouco dessa interação dos profissionais com a população. “Vejo as pessoas chegando aqui cheias de esperança”, descreve. Ela também conta que o clima é de muita alegria e ansiedade. “Elas (as pessoas) estão felizes por receber a vacina”, completa Maria das Graças.

Silvana Andrade, Marlene Picanço e Cássia Mareia descrevem o dia a dia cheias de alegria. “As pessoas comemoram pela vacina e aplaudem o SUS”, conta Cássia. Sua colega, Marlene, diz que uma das perguntas mais frequentes é sobre o consumo de álcool. “Muita gente chega aqui perguntando pra gente se precisam ficar sem beber. E a maioria é mulher, viu? Elas são retadas”, brinca. Silvana explica que não existe uma contraindicação específica sobre o consumo de bebidas alcoólicas, mas que é recomendável ficar 48 horas sem beber. “E tem gente que deixa de tomar a vacina no final de semana por isso, viu?”, completa Marlene.

Cássia ainda lembra que as pessoas costumam perguntar sobre a próxima dose e se precisa ser no mesmo local de vacinação. “A gente tira todas as dúvidas delas e recebemos muito carinho”, acrescenta. Eliane Paixão também diz que parte do trabalho deles é aconselhar a população. Ela sugere que os vacinados vivam a vida, mas sempre com cuidado. “Tava falando com o senhor aqui pra ele andar um pouco, assistir uns filmes. É importante se distrair”, afirma. Eliane também assegura que é preciso se resguardar após a imunização. “Sempre lembro dos cuidados que são necessários mesmo depois da vacina: continuar usando máscara e álcool em gel e manter o distanciamento”, conclui.

Eliane, emocionada, faz questão de sempre estar presente no posto porque o trabalho, de acordo com ela, é muito gratificante. “Prefiro vir trabalhar pra ver vidas, do que ficar em casa e ver mortes”, garante. De acordo com a profissional, as pessoas chegam ansiosas, porém animadas. Ela conta que algumas ainda trazem bolo, cartazes, falam palavras de carinho e agradecem pelo serviço dos vacinadores. “Agora, mais do que nunca, as pessoas estão reconhecendo o nosso trabalho. Rico, pobre, todo mundo está precisando dos serviços de saúde. Fico feliz com o reconhecimento”, completa orgulhosa. 

Quem tava de carro também se vacinou (Foto: Nara Gentil)

Desconfiança
Por conta da ansiedade da população em se proteger e das notícias que circulam pelo país de casos onde os aplicadores fingem vacinar ou roubam doses, algumas pessoas cometem episódios de desacato e desrespeito com os profissionais de saúde nos locais de vacinação. A vacinadora Jane Alves conta sobre este outro lado da expectativa da imunização. Ela relata que vivenciou inúmeros casos de desconfiança das pessoas com os vacinadores. “Elas vêem os casos e ficam desconfiadas”, declara Jane.

A funcionária também comenta que já foi questionada sobre a quantidade da dose. “Muitos perguntam: ‘É só isso?’, explica. Jane diz que já teve até que mostrar o frasco, onde está escrito “cinco doses”, para justificar ao vacinado a quantidade. Em contrapartida, a vacinadora faz questão de lembrar que não houve nenhum caso de aplicação falsa em Salvador. 

Vacinação
A primeira dose da vacina voltou a ser aplicada em Salvador no último sábado (17), após cinco dias de interrupção da imunização por falta de estoque de vacina. Só no primeiro dia do retorno, mais de 20 mil pessoas foram vacinadas em Salvador. O  secretário municipal da Saúde (SMS), Leo Prates, afirmou que o sucesso da estratégia de vacinação é resultado da estrutura vacinal montada na cidade. “O que deve ser chamado à atenção é o nível de organização que demonstramos mesmo com o grande volume de procura nos postos. Salvador continua sendo a capital que mais vacina no país”, observou o secretário.

Com a estratégia de imunização já estabelecida, o 5º Centro de Saúde Clementino Fraga, localizado nos Barris, conseguiu zerar neste domingo (18) a fila de carros no drive thru em menos de duas horas. De acordo com a funcionária Cássia Maria, este domingo não foi um dos dias de movimento mais intenso do posto, mas ela comentou que já haviam passado muitas pessoas na manhã. “Quando a gente acha o ritmo, a fila anda rápido”, explica Cássia sobre a tranquilidade do fluxo.

Neste domingo (18), a aplicação da primeira dose foi voltada para as pessoas de 60 anos ou mais, nascidas entre 18 de julho de 1960 a 18 de outubro de 1960. No mesmo horário, também aconteceu a imunização da segunda dose para os trabalhadores da saúde e idosos. Para ter acesso às datas desses dois grupos, basta observar as divulgações do planejamento vacinal no site da SMS e no cartão de vacina obtido na ocasião da primeira aplicação.

Além dos postos fixos e dos drives, os idosos com 60 anos ou mais também podem agendar sua vacinação domiciliar através do site vacinaexpress. saude. salvador. ba. gov. br. Diariamente são oferecidas 200 vagas, preferencialmente, para pessoas acamadas ou com dificuldade de locomoção. Aqueles que receberam a primeira dose em casa não precisam fazer um novo registro no site. O retorno da equipe de saúde é feito automaticamente de acordo com a data de reforço programada no sistema.

Nesta segunda-feira (19), terá a retomada da primeira dose  para os trabalhadores da saúde e autônomos – incluindo as doulas. Além desses profissionais, pacientes em hemodiálise fazem parte. Outro grupo beneficiado nesta etapa são os policiais federais, militares, civis e rodoviários federais; bombeiros, guardas municipais, agentes de salvamento e trânsito. A imunização desses grupos será das 8h às 18h. Os drivers e pontos fixos destinados à eles estão no FBDC Cabula e na Universidade Católica de Salvador (Campus Pituaçu).

A aplicação da segunda dose, para complemento do calendário vacinal segue normalmente, sem interrupção. Para tanto é preciso ser observada a data de retorno sinalizada no cartão de vacina na ocasião da primeira aplicação. Os pontos de imunização drive thru estão na FTC Paralela; Faculdade Universo (Campus ACM); Barradão e USF San Martins III. E os pontos fixos estão localizados no Barradão; FTC Paralela; Clube dos Oficiais (Dendezeiros); UBS Ramiro de Azevedo e UBS Colinas de Periperi.

Para os idosos com 60 anos, nascidos entre 19 de abril de 1960 e 19 de outubro de 1960, que não compareceram a um dos pontos de vacinação no final de semana, ainda poderão ser vacinados na segunda-feira (19) no turno matutino, das 8h às 12h. Das 13h às 18h, serão vacinados os idosos com 60 anos ou mais nascidos de 19 de outubro de 1960 a 19 de janeiro de 1961.

Os locais de vacinação para quem estiver de carro ou bicibleta são no PAF Ondina; Arena Fonte Nova; Atakadão Atakarejo; 5º Centro de Saúde; Parque de Exposições; Centro de Convenções; FBDC Cabula; Unijorge Paralela e Vila Militar (Dendezeiros). Para aqueles que estiverem à pé, os pontos fixos são USF Vista Alegre; UBS Nelson Pihaui Dourado; USF Resgate; USF Federação; USF Santa Luiza; USF Plataforma; USF Cajazeiras X; Unijorge Paralela; 5º Centro de Saúde e Colégio da Polícia Militar (Dendezeiros).

A novidade da vacinação nesta segunda será mais uma edição do Corujão da Vacina. Os drivers da Arena Fonte Nova, 5º Centro, Centro de Convenções e Vila Militar (Dendezeiros) contemplarão apenas os idosos com 60 anos ou mais nascidos até 19 de janeiro de 1961. O Corujão vai das 18h às 21h.

*com supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro