Geral

Itaú tem lucro de R$ 18,9 bilhões em 2020, queda de 28,9%


No quarto trimestre, o banco reportou lucro de R$ 7,592 bilhões, pouco acima do verificado no mesmo período do ano passado (R$ 7,482 bilhões). Fachada de agência do banco Itaú no Rio de Janeiro
Sergio Moraes/Reuters
O banco Itaú informou nesta segunda-feira (1º) que encerrou 2020 com lucro líquido de R$ 18,9 bilhões, uma queda de 28,9% na comparação com o ano anterior (R$ 26,583 bilhões). No quarto trimestre, a companhia reportou lucro de R$ 7,592 bilhões, pouco acima do verificado no mesmo período do ano passado (R$ 7,482 bilhões).
Já o lucro líquido recorrente, que exclui operações extraordinárias do banco, foi de R$ 18,5 bilhões no ano passado, um recuo de 34,6% em relação a igual período de 2019 (R$ R$ 28,4 bilhões).
Em 2020, o lucro menor do banco pode ser explicado pelo aumento das despesa com provisão por causa do impacto da pandemia de coronavírus na atividade econômica. Nos últimos três meses do ano, a melhores pode ser explicada pela venda parcial da participação da companhia na XP.
O retorno sobre o patrimônio líquido anualizado, indicador que mede como o banco remunera os seus acionistas, chegou a 14,5%, resultado abaixo do apurado em 2019, quando chegou a 23,7%.
Despesas com provisão
Impulsionadas pela pandemia de coronavírus, as despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa (espécie de colchão financeiro formado para cobrir possíveis calotes) somaram R$ 29,938 bilhões em 2020, alta de 52,1% na comparação com os R$ 19,68 bilhões de 2019.
No quarto trimestre, as despesas com provisão somaram R$ 5,641 bilhões, queda de 11% de 8,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.
Carteira de crédito
A carteira de crédito do Itaú cresceu 20,3% no ano passado e somou R$ 869,5 bilhões.
No acumulado de 2020, o banco destaca o crescimento do crédito para a pessoa física (avanço de 6,6% e para o segmento de micro, pequenas e médias empresas (alta de 33,9%).
Já o índice de inadimplência acima de 90 dias encerrou o ano em 2,3%, uma queda de 0,7 ponto percentual na comparação com 2019.
Vídeos: Últimas notícias de economia