Geral

Júri declara que ex-policial responsável pela morte de George Floyd é culpado

O júri do ex-policial Derek Chauvin, responsável pela morte de George Floyd, declarou o ex-agente culpado. O julgamento ocorreu no centro de Mineápolis, cidade onde ocorreu o crime, nos Estados Unidos. A sentença com a pena ainda não foi divulgadas, mas os 12 jurados consideraram Derek Chauvin culpado em todas as três acusações de homicídio contra o ex-segurança: homicídio culposo, negligência ao assumir o risco consciente de causar a morte de Floyd e causar a morte, sem intenção, através de um ato perigoso, sem consideração pela vida humana.

Os jurados se reuniram para discutir a decisão na segunda-feira (19), após o fim dos depoimentos de testemunhas, da defesa e da acusação. Chauvin se recusou a depor no tribunal. O advogado do ex-policial Eric Nelson, disse que Chauvin agiu em consonância com a prática policial e que Floyd tinha problemas cardíacos. Em junho de 2020, Chauvin foi expulso da polícia de Minneapolis.

George Floyd, homem negro, morreu em maio de 2020 após ter o pescoço pressionado pelo joelho do policial Derek Chauvin, em Mineápolis, por 9 minutos e 29 segundos.

A violência policial contra Floyd gerou uma série de protestos em Mineápolis, que logo se espalharam por diversas partes dos Estados Unidos. Durante semanas, ruas ficaram lotadas de manifestantes que protestavam contra o racismo. A mobilização seguiu durante meses, e chegou a outros países. O movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), fundado em 2013, nos Estados Unidos, se tornou a principal voz das manifestações.

Então candidato à presidência, Joe Biden participou, por vídeo, do funeral de George Floyd em Houston, nos EUA, em junho de 2020

O final do julgamento de Chauvin ocorreu em um novo momento de protestos contra o racismo e contra a violência policial, após novos episódios de mortes de cidadãos negros em ações das forças de segurança nos Estados Unidos.