Geral

Justiça de RR ordena nova eleição para Câmara de Amajari após vereador se autodeclarar presidente


Eleição de Irmão Davi foi anulada na decisão judicial. Ação na Justiça foi ingressada pelo vereador Adriano Novinho. Os dois são do MDB. Vereadores Adriano Novinho (à esquerda) e Irmão Davi (à direita)
Reprodução/Facebook/Adriano Novinho/Irmão Davi
A Justiça de Roraima anulou nessa quinta-feira (14) a eleição para a Mesa Diretora da Câmara de Amajarí, município no Norte do estado, e determinou que uma nova votação. A decisão ocorre após o vereador Irmão Davi se autodeclarar presidente e anular a inscrição da chapa de Adriano Novinho, feita minutos antes do pleito no dia 1º de janeiro, primeira sessão do ano.
Na decisão, o juiz Cleber Gonçalves Filho, titular da Comarca de Pacaraima, determinou que a nova eleição aconteça com apenas a chapa de Irmão Davi, inscrita dentro dos 15 dias úteis, conforme o regimento interno da Casa.
No entanto, se a chapa de Davi não for eleita com a maioria dos votos, deverá ocorrer uma nova votação com a possibilidade de inscrição de chapa concorrente, e vitória da mais votada.
O G1 entrou em contato com Irmão Davi, no entanto, não obteve resposta.
Os dois vereadores são do MDB. Na posse, a sessão foi presidida pelo Irmão Davi, por ele ser o parlamentar mais velho da Casa. Ele recebeu votos de quatro dos nove vereadores e rejeitou a candidatura de Novinho, que decidiu recorrer à Justiça.
Conforme a defesa dos vereadores, “o juiz restabeleceu a ordem legal, tendo em vista que foram praticadas irregularidades na eleição do dia 1º”. A nova eleição deve ocorrer no prazo de 48 horas.