Geral

Manifestação pede impeachment do presidente

Se nas manifestações anteriores ainda havia dúvida sobre a maior motivação da ida das pessoas às ruas, neste sábado (24) as dúvidas acabaram. No trajeto que foi do Campo Grande à Praça Municipal, o grito “Fora Bolsonaro” predominou, no lugar do “vida, pão, vacina e educação”, muito ouvido nas ocasiões anteriores. A chuva fraca que caiu por volta das 11h até motivou um outro grito: “Pode chover, pode molhar, o Bolsonaro nós vamos derrubar”.

Humberto Borges, presidente do Sindicato dos Propagandistas da Indústria Farmacêutica da Bahia, Sinproba, diz que a entidade o impeachment é uma reivindicação da categoria. “Precisamos sair das redes sociais e ir pras ruas, lutar por mais vacinas e mais direitos. Além disso, nós, ligados à indústria da farmácia, somos contra essa forçação de barra com a cloroquina, que comprovadamente não tem eficácia contra a covid. E somos contra militares no Governo. ‘Militar’, para nós é verbo”, afirmou.

Durante a manifestação, o Sindicato dos Trabalhadores da Emp Brasileira de Correios e Telégrafos BR BA (Sincotelba) levou um caixão simbolizando enterro do presidente Jair Bolsonaro. Já o Coletivo Quilombo esteve presente e homenageou Leo, um jovem integrante do movimento que morreu vítima de covid-9.

“Estamos aqui para homenageá-lo. E, a partir do luto por mais de 540 mil pessoas, temos a nossa luta. Estamos aqui contra um governo genocida, lutamos pela derrubada de um governo autoritário, representado por Bolsonaro”, disse Tifanny Conceição, que integra a coordenação nacional do movimento.