Geral

Orientação errada faz idosa viajar do Recôncavo a Salvador para se vacinar

Uma situação ocorrida na última quarta-feira, 14, em Salvador, chamou a atenção de pessoas que estavam na fila para se vacinar contra a covid-19 no posto de vacinação do Quinto Centro. 

A idosa Ana Benedita, de 75 anos, afirmou ter sido orientada por profissionais de saúde de sua cidade — Salinas da Margarida, localizada a 270 km da capital — a se vacinar em Salvador, pois ela recebeu a primeira dose do imunizante na cidade. 

“No posto de Conceição de Salinas disseram que não tinha certeza se ia sobrar pra mim, que as doses eram todas contadas, e me mandaram vir para Salvador, pois eu tinha tomado a primeira dose aqui. Aí eu vim sem tomar café, vim no Ferry de 6h, morrendo de medo”, afirmou Benedita.

Procurada, a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) afirmou que essa não é a orientação dadas aos municípios, pois como a vacinação integra o Programa Nacional de Imunização (PNI), do SUS, não pode haver restrições, mesmo que a pessoa não seja da cidade em questão.

“A enfermeira me disse que não tinha vacina e que não sabia quando ia chegar, que avisava quando chegasse, mas mesmo assim, não sabia se sobraria pra mim, pois ia chegar contado para o povo de lá, e que se sobrasse, me vacinaria. Fiquei com medo e vim pra Salvador”, explica.

Ana Benedita recebe a dose da vacina contra a covid-19 em Salvador. (Foto: Paula Fróes/CORREIO*)

O CORREIO* conversou com a equipe responsável pela vacinação no município de Salinas da Margarida, que disse desconhecer o caso específico da idosa em questão, porém ressalta que a situação já aconteceu anteriormente por diversas vezes e em todas elas tudo foi resolvido sem problemas.

“Realmente, temos as doses contadas da vacina. Só podemos imunizar por fora de maneira imediata quando sobram unidades das doses. No entanto, o que fazemos é coletar os dados da pessoa e solicitamos à central doses extras, para vacinar essas pessoas. Assim que a nova remessa de vacina chega, avisamos a pessoa que ela pode vir se vacinar”, afirma Midian Gomes Teixeira, coordenadora de vigilância da saúde do município.

“Na semana passada, tivemos dois casos assim, e conseguimos resolver tranquilamente e imunizar as pessoas, pois tínhamos doses sobrando em nosso estoque. Anteriormente, também tivemos mais oito dessas situações, solicitamos novas vacinas e tudo deu certo”, complementou.

Até a tarde desta segunda-feira, 19, foram aplicadas 2.133 primeiras doses da vacina contra o novo coronavírus em Salinas da Margarida. Curiosamente, o número é maior do que as doses distribuídas ao município, que foi de 2.120 unidades. Já em relação à segunda dose, foram aplicadas 501 unidades das 928 distribuídas até o momento.

De acordo com os dados divulgados pela Sesab, foram registrados até o momento 1.235 casos de covid-19 em Salinas da Margarida, com 11 óbitos causados pela doença, registrando uma taxa de mortalidade de apenas 0,89%.

*Com orientação da subeditora Carol Neves