Geral

Pandemia consolida novos perfis de consumo, aponta pesquisa

A pandemia de covid-19 trouxe muitas mudanças, inclusive no modo como compramos. Os canais digitais já são preferidos para fazer as compras no Brasil, segundo a edição 2021 da Global Consumer Insights Pulse Survey, da PwC. Os consumidores estão mais conscientes da importância da sustentabilidade nas hora de comprar, revela também a pesquisa. 

A loja física é a preferida para compras diárias ou semanais para 41% dos consumidores no mundo – no Brasil, o percentual é mais baixo, de 24%. Por aqui, a liderança é das compras digitais, que a pesquisa divida em três categorias. As compras por smartphones são o canal preferido por 30% dos brasileiros (33% no índice global). Já as compras usando computador têm 29% da preferência no Brasil (26% no global). Por fim, as compras por tablet são opção preferida de 14% dos brasileiros (18% no global).

“Todos sabemos que a pandemia provocou grandes alterações de comportamento. A novidade é que, por estar durando tanto tempo no Brasil, está incentivando mudanças de hábitos que irão impactar o comércio por muito tempo” acredita Carlos Coutinho, sócio da PwC Brasil e líder de Consumer Markets. “A pandemia e todo o seu entorno, está criando novos hábitos de consumo e comportamentos da população bem distintos, que podem definir padrões de longo prazo em atitudes de compra”, acrescenta.

Quem prefere comprar nas lojas físicas explicou: para 33% dos participantes (e 22% dos brasileiros), é necessário ver ou tocar os produtos para fazer a melhor escolha. Nas compras on-line, a maioria destaca a entrega rápida e confiável como ponto mais importante (42% dos participantes e 49% dos brasileiros). 

O isolamento trouxe outra mudança: 45% dos participantes – e 55% dos brasileiros – dizem que estão optando preferencialmente por negócios locais e independentes.

Adaptação
Um dos pontos indicado por 47% dos participantes da pesquias (e 39% dos brasileiros) como diferencial da compra on-line é a possibilidade de examinar uma maior variedade de produtos. A disponibilidade do produto em estoque também foi bastante ressaltada (54% no global e 41% no Brasil).

A loja física deve se adaptar. Para 19% dos entrevistados, um dos fatores considerados ao se escolher fazer uma compra presencial é a loja ter “características inovadoras”. A experiência de pagamento também deve ser o mais fluida possível.

“O consumidor procura valor em toda jornada que começa. A equação de valor vai desde achar o que ele quer, na hora que ele quer, até receber com tranquilidade para poder usufruir dessa jornada”, afirma Carlos Coutinho. “O isolamento habituou o consumidor a um novo tipo de pensamento, em se tratando de transações. A compra digital permite a busca de uma variedade de opções, de forma rápida e exata – e o consumidor, ao voltar para a loja física, retornará desejando passar pela mesma experiência que ele tem nos meios digitais. Este será o grande desafio do varejo”, diz.