Geral

Polícia Civil identifica jovem suspeita de aplicar golpes na compra de celulares em Dracena


Após negociação, golpista enviava à vítima um comprovante falso de transferência bancária e mandava um motorista por aplicativo buscar o aparelho. Delegacia da Polícia Civil em Dracena
Polícia Civil
A Polícia Civil, em Dracena, identificou nesta quinta-feira (14) uma mulher, de 23 anos, suspeita pelo crime de estelionato na compra de aparelhos celulares que eram anunciados em grupos de classificados de compra e venda em redes sociais.
Duas ocorrências sobre essa prática criminosa foram registradas nesta quarta-feira (13).
Segundo a polícia, uma pessoa se passava por interessada na compra do aparelho celular anunciado e, após a concretização da negociação, enviava à vítima um comprovante falso de transferência bancária.
Em seguida, o golpista informava que um motorista de transporte por aplicativo iria até a casa da vítima, para o qual era entregue o telefone. A vítima somente percebia que havia caído em um golpe depois que o pagamento não era creditado na conta estabelecida para efetivação do depósito, segundo a polícia.
Policial civil desenvolve cartilha com orientações para evitar golpes de estelionato
Cartilha da Polícia Civil com principais golpes aplicados na região de Presidente Prudente vira aplicativo
Mediante a essas duas ocorrências, a Polícia Civil passou a investigar os casos e conseguiu identificar a jovem de 23 anos suspeita de receber os aparelhos telefônicos adquiridos de forma ilícita.
Na residência da moça os policias civis mantiveram contato com um familiar, que confirmou que a jovem teria recebido alguns celulares, entregues por motoristas de aplicativos, mas que a mesma teria deixado a casa e ido embora para cidade de Campo Grande (MS).
De acordo com a polícia, um inquérito policial foi instaurado para dar continuidade as investigações e tentar recuperar os aparelhos comprados ilicitamente. As vítimas, os motoristas de transportes por aplicativo e o familiar da suspeita serão notificados para serem ouvidos em declarações.
A Polícia Civil orienta a outras possíveis vítimas desse golpe a procurar uma unidade policial para registrar um Boletim de Ocorrência.
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.