Geral Política

Policial morto após ataque ao Congresso dos EUA é homenageado no Capitólio


Brian Sicknick, de 42 anos, foi espancado por extremistas apoiadores de Trump durante a invasão de 6 de janeiro. Restos serão expostos na Rotunda do Capitólio, uma homenagem concedida em raras exceções. Restos mortais de policial morto nos EUA foram expostos na retunda do Capitólio, na noite desta terça-feira (2).
Kevin Dietsch/Pool via REUTERS
Os restos mortais do policial Brian Sicknick estão sendo velados no Capitólio, em Washington, na madrugada desta quarta-feira (3). O agente foi morto durante o ataque de 6 de janeiro ao Congresso dos Estados Unidos por partidários do então presidente Donald Trump. O atual presidente, Joe Biden, e a primeira-dama, Jill, participam da homenagem.
Os restos mortais do policial ficarão expostos na Rotunda do Capitólio, uma homenagem concedida em raras exceções. Ainda nesta quarta, familiares de Sicknick e parlamentares farão uma despedida o policial. Após a cerimônia, o corpo do policial seguirá para sepultamento.
Joe e Jill Biden durante homenagem ao policial morto, em cerimônia na madrugada desta quarta-feira (3).
Erin Schaff/Pool via REUTERS
O agente Brian Sicknick recebeu um golpe na cabeça com um extintor de incêndio quando confrontava os manifestantes que haviam tomado os corredores do Congresso, no dia 6 de janeiro, durante o reconhecimento formal da derrota eleitoral de Trump para o democrata Joe Biden. Ao todo, 5 morreram na invasão.
De acordo com o site da Câmara de Representantes, apenas quatro outras pessoas foram expostas na Rotunda do Capitólio: o reverendo Billy Graham, ícone dos direitos civis; Rosa Parks e dois outros policiais do Capitólio, Jacob Chestnut e John Gibson, mortos durante um tiroteio no prédio em 1998.
A presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, ordenou que as bandeiras fossem baixadas em homenagem a Sicknick.
Quem era o policial
O policial do Capitólio dos EUA, Brian Sicknick, que foi morto na invasão à sede do Congresso americano em 7 de janeiro 2021
Polícia do Capitólio via AP
Brian Sicknick era policial do Capitólio desde 2008 e foi espancado e morto pelos apoiadores de Trump. Natural de South River, Nova Jersey, Sicknick serviu na Guarda Aérea Nacional em seu estado e sua família diz que servir à carreira policial era seu grande sonho.
Após ser atingido na cabeça por um extintor, ele chegou a retornar à base de sua divisão, onde desmaiou e foi transferido para um hospital, onde morreu no dia seguinte.