Geral Saúde

Pontos de vacinação para profissionais de saúde têm movimento tranquilo

Se o sábado (30) foi marcado por filas e aglomerações, a manhã deste domingo (31) transcorre na maior tranquilidade na vacinação dos profissionais de saúde em Salvador.  Em alguns momentos, os pontos de drive-thru estavam vazios ou com mais de uma equipe de vacinação à espera de mísero braço para espetar. 

Logo nas primeiras horas do dia, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas fez um apelo, convocando os profissionais em sua conta do twitter. “Vamos arregaçar as mangas (literalmente) e bater a meta de chegar segunda-feira (1) com o maior número possível de municípios com 75% ou mais”. 

O apelo foi postado às 7h05, horário que ele divulgou também uma parcial da imunização: 182.083 (63.7%) de pessoas vacinadas e 285.920 vacinas distribuídas. Assim como no sábado, o plano de vacinação do domingo conta com a atuação de quatro drivers e 11 postos funcionando das 8h às 17h para os públicos alvos. 

(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Além dos profissionais que trabalhavam na rede estadual, municipal e privada de saúde, passaram a entrar na lista os profissionais vinculados às instituições federais: Hospital Naval de Salvador; Divisão de Saúde da Base Naval de Aratu; Esquadrão de Saúde da Força Aérea e Hospital Geral do Exército.  A mesma estratégia se repetirá nesta segunda-feira (1).

A calmaria foi tamanha, que a Arena Fonte Nova e o Complexo de Saúde Clementino Fraga (5º Centro), destinos a vacinar os trabalhadores que atuam nas instituições sob gestão estadual, estavam recebendo trabalhadores da rede municipal e privada.

No Complexo de Saúde Clementino Fraga (5º Centro), a fisioterapeuta Priscila Carvalho, 38 anos, não teve dificuldade para ser vacinada. O carro em que ela estava parou em um dos drives, ela exibiu o cartão de vacinação, e instantes depois já tinha recebido a vacina. “Trabalho atendendo diariamente a população e essa é uma forma de me proteger e também proteger os pacientes”, disse ela, que trabalha no Multicentro de Saúde Carlos Gomes, no Dois de Julho. 

O vigilante do Hospital Tereza de Lisieux  Anderson Pratas, 40, chegou sozinho e arregaçou a maga do lado direito da camisa sem demora. “Eu já tive (covid-19) logo no início, e minha esposa também. Então, sei o quão é importante estar aqui, neste dia”, declarou. 

Quem também não encontrou fila foi a auxiliar administrativo do Hospital Santa Izabel Gildete Portela Piedade, 56. Logo após ter recebido a dose da vacina, ela revelou que teria sido infectada no local de trabalho. “O fluxo de pessoas é muito grande. Além do mais, só eu lá em casa que pegou a covid. Só pode ter sido trabalhado”, disse. 

Até as 10h, o 5º Centro tinha imunizado uma média de 200 profissionais. “Realmente hoje está muito tranquilo. Ontem foi bem diferente”, disse ele, que não soube informar qual a meta de vacinação do centro. 

A tranquilidade foi a mesma nos drivers thru da Arena Fonte Nova. A atendente de Nutrição do Hospital Santa Izabel Antônia Maria Oliveira Salva, 57, trocava algumas palavras com a motorista e, quando deu por si, o braço já tinha recebido a dose. “Foi tão rápido que nem percebi direito”, disse. 

A lista desses trabalhadores a serem vacinados está disponível no site. Aquele profissional que não tiver com o nome na lista não deverá se dirigir aos pontos de vacinação. Os mesmos devem procurar a unidade onde trabalha para esclarecimentos.