Justiça

Presos por morte de barbeiro em quiosque no Imbuí serão transferidos ainda hoje

Advogado é apontado como autor dos disparos

Os acusados pela morte de Lucas Souza de Araújo, de 29 anos, que aconteceu em um bar no Imbuí no último domingo (24), serão transferidos ainda nesta quarta-feira (27) para a carceragem da Delegacia de Repressão de Furtos e Roubos, na Baixa do Fiscal. A informação foi passada pelo delegado José Bezerra, que está deixando o cargo de diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

O advogado José Geraldo Lucas Júnior, 27 anos, autor dos três disparos que atingiram a vítima, e seu cúmplice, identificado até o momento apenas como Jean, se entregaram hoje pela manhã ao DHPP. Eles foram interrogados pela polícia e passam por exame de corpo de delito para então serem transferidos. 

Os dois tiveram a prisão temporária decretada ontem pela Justiça. Geraldo e Jean devem ficar presos por 30 dias, com possibilidade de prorrogação por mais um mês. O delegado José Bezerra informou ainda que eles terão condutas individualizadas, respondendo por crimes diferentes. Geraldo teria sido o autor dos disparos e Jean, cúmplice do ato criminoso. 

Testemunhas do crime e também os familiares de Lucas já foram ouvidos. Segundo a Polícia Civil, foram apresentadas no DHPP as roupas dos suspeitos e a pistola 9mm usadas no dia do crime. A polícia informou também que já analisou as imagens das câmeras do estabelecimento e confirmou que através delas é possível entender como o crime aconteceu. O CORREIO solicitou as imagens, mas foi informado de que os advogados dos suspeitos pediram preservação da imagem dos dois e, então, o conteúdo não deve ser divulgado.  

Os familiares de Lucas estiveram hoje no DHPP. A mãe dele passou mal e precisou ser socorrida. (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

A OBA-BA informou que já encaminhou o caso do advogado acusado de homicídio ao Tribunal de Ética e Disciplina (TED) da Ordem e instalou um incidente de inidoneidade moral, que podem culminar na perda definitiva da inscrição do advogado nos quadros da OAB.  

“Todos nós nos compadecemos diante de episódios como este. Lamentamos muito o que ocorreu e desejamos a todos os familiares e amigos de Lucas que tenham força para atravessar esse momento, que é certamente muito difícil. Acreditamos que a justiça será feita em todas as instâncias possíveis”, afirmou o presidente da OAB da Bahia, Fabrício Castro.

Crime
O crime aconteceu em um quiosque ao lado da Barraca do Zurca, na Praça do Canal. Houve muita correria no local. Lucas estava no bar com a esposa, o irmão e a cunhada. Quando as mulheres levantaram para ir ao banheiro, um dos suspeitos teria ‘mexido’ com a mulher dele. Lucas então se aproximou para tirar satisfação, mas os dois brigaram. O advogado estava armado e atirou. 

Lucas foi baleado na cabeça e no peito e morreu no local. De acordo com a 39ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Boca do Rio), na noite do crime, o Centro Integrado de Comunicações (Cicom) acionou policiais militares da unidade após informações de disparos de arma de fogo. No local, a equipe já encontrou a vítima sem vida e isolou a área para perícia.

*Com orientação da subeditora Monique Lôbo