Geral

Remessa com vacinas da Oxford/Astrazeneca chega a Salvador

Uma nova remessa de vacina contra a covid-19 chegou ao Grupamento Aéreo (Graer) da Polícia Militar, no final da manhã deste domingo (24). Os imunizantes da Astrazeneca/Oxford serão distribuídos em Salvador e cidades da Região Meteopolitana e interior nas próximas horas. A Bahia recebeu 119.500 doses da vacina.

Equipes da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e da Saúde recepcionaram os novos lotes e colocaram as doses da vacina em uma sala com refrigeração especial.

A partir das 14h, as vacinas devem começar a ser distribuídas em caminhonetes, helicópteros e aviões para cidades da Bahia. A vacinação acontece no estado, por enquanto, somente com as primeiras vacinas enviadas pelo Instiuto Butantan, a Coronavac, mas agora vai ganhar esse reforço. A estimativa é de que 119,5 mil doses da vacina da Oxford chegariam.

Por enquanto, estão sendo vacinados trabalhadores de saúde que atuam na linha de frente contra a covid, idosos que vivem em abrigos e  indígenas, aldeados e comunidades ribeirinhas (quando houver).

Como a segunda dose da vacina de Oxford pode ser tomada em até 90 dias, dessa vez o Estado vai adotar a estratégia de usar todas as doses que chegaram hoje para vacinar o máximo de pessoas possíveis – com a Coronavac, metade das doses foram guardadas para a segunda aplicação. “Por possuir resposta imunológica precoce  ampla, garantindo que se possa esticar o prazo de aplicação da segunda dose para 90 a 120 dias à frente, isso permitirá que apliquemos todas as doses sem que seja preciso guardar 50%, como ocorreu com a Coronavac”, disse o secretário da Saúde, Fábio Villas-Boas.

Até às 11h deste domingo, 16.631 pessoas haviam sido vacinadas em Salvador. Na Bahia, o balanço do sábado (23) apontava 78,5 mil pessoas já vacinadas com a primeira dose. Todos os 417 municípios baianos já começaram a vacinar.

Como a vacinação vai ocorrer com imunizantes de diferentes laboratórios em todo país, e as indicações de uso são diferentes, o cartão de vacinação é que vai garantir que a segunda dose aplicada seja a mesma que a primeira e no prazo determinado. Caso tenha perdido o cartão, o cidadão receberá  um novo cartão com a indicação de qual vacina contra a covid-19 recebeu.

(Foto: Alberto Maraux/Divulgação/SSP)

Vacina veio da Índia
O novo lote de vacinas chegou da Índia, ontem, após um atraso e dúvidas por alguns dias. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, recebeu o lote em solo brasileiro, ao lado dos ministros das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e das Comunicações, Fábio Faria. Também estavam presentes o embaixador da Índia, Suresh Reddy, e a presidente da Fiocruz, Nisia Trindade. Esta última se juntou ao grupo no Rio de Janeiro.

“A encomenda tecnológica prevê 100 milhões de doses para o primeiro semestre. Essas 2 milhões de doses são apenas o início. É o começo do processo. O objetivo do Ministério da Saúde é a vacinação em massa do povo brasileiro. E isso vai nos colocar, rapidamente, no topo da lista do número de vacinados. Com 8 milhões de doses, nós passaremos a ser o segundo país do ocidente que mais vacinou”, disse Pazuello, em pronunciamento à imprensa na Base Aérea.