Justiça Política Saúde

Rui comemora decisão da Anvisa que deve beneficiar uso da vacina russa Sputnik V

O governador Rui Costa comemorou, nesta quarta (3), a alteração do texto do guia da Avisa, que estabelece requisitos mínimos para o pedido de uso emergencial de vacinas para Covid-19, retirando a exigência de realização de estudo em fase 3 no Brasil. 

A medida afeta diretamente a liberação provisória da vacina russa Sputnik V, favorita pelo governo da Bahia. A União Química, responsável pela produção do imunizante no país, não conseguiu a autorização para realizar o estudo com a vacina no país, no entanto, ele já teria sido realizado em outros países.

“Valeu a pena a batalha da Bahia pela Sputnik V! A Anvisa acaba de anunciar que não vai exigir a testagem da vacina russa no Brasil para autorizar o uso do imunizante. Uma vitória importante nesta nossa luta para garantir mais doses para vacinar brasileiros e brasileiras. Parabéns à Procuradoria Geral do Estado da Bahia pelo trabalho até aqui junto ao STF. Seguimos confiantes no Supremo. Seguimos confiantes na ciência que salva vidas”, comemorou o governador, através das suas redes sociais.

No Brasil, a União Química afirma que pode receber 10 milhões de doses prontas do imunizante até março. Além disso, entregar 150 milhões de unidades em 2021, somando a produção que seria feita no Brasil.

A retirada desta exigência também pode facilitar a entrada de outras vacinas no País. O laboratório indiano Bharat Biotech, por exemplo, já mostrou interesse em trazer a Covaxin ao setor público e privado brasileiro.