Geral

Ryanair espera prejuízo anual recorde


Presidente-executivo, Michael O’Leary, prevê uma recuperação considerável com o andamento da vacinação contra o coronavírus. A Ryanair espera prejuízo de cerca de 1 bilhão de euros em seu atual ano fiscal, de longe o pior desempenho da história, da companhia aérea, mas o presidente-executivo, Michael O’Leary, prevê uma recuperação considerável neste verão (do hemisfério norte) com o andamento da vacinação contra o coronavírus.
Aviões da Ryanair no aeroporto de Weeze, na Alemanha, em imagem de arquivo
Wolfgang Rattay/Reuters
A companhia aérea irlandesa de baixo custo, a maior da Europa, prevê um prejuízo entre 850 milhões e 950 milhões de euros no exercício que termina em 31 de março, cerca de 5 vezes maior do que o prejuízo recorde anterior, de 2009.
Em um comunicado, O’Leary descreveu o ano como o mais desafiador nos 35 anos de história da Ryanair. Mas ele disse à emissora nacional irlandesa RTE esperar uma “recuperação considerável” neste verão com o lançamento generalizado de vacinas, particularmente no Reino Unido.
A recuperação deve se acelerar em julho e setembro, segundo trimestre do exercício da companhia aérea, antes de retornar a 70% e 90% dos níveis normais entre outubro e março, disse o vice-presidente financeiro da empresa, Neil Sorahan.
“Esperamos voltar a algum tipo de normalidade” no inverno, disse Sorahan.
As restrições em razão da Covid-19 reduziram o número de passageiros da Ryanair em 78% nos últimos três meses do ano, o terceiro trimestre de seu calendário financeiro, levando-a a um prejuízo trimestral de 306 milhões de euros – acima do resultado negativo de 300 milhões prevista em uma pesquisa da empresa com analistas.
A queda de 82% na receita da Ryanair no trimestre se compara com quedas de 88% na rival easyJet e 77% na Wizz, que publicaram resultados na semana passada.
A Ryanair é amplamente vista como uma das companhias aéreas mais bem colocadas do mundo para enfrentar a pandemia em razão do seu grande saldo de caixa. A empresa disse ter caixa em caixa de 3,5 bilhões de euros no final de dezembro, em comparação com 4,5 bilhões no final de setembro.
A companhia aérea estimou tráfego entre 26 milhões e 30 milhões de passageiros no ano até o final de março, em comparação com 149 milhões no ano fiscal anterior. Ela poderia voar entre 80 milhões e 120 milhões de passageiros no ano até o final de março de 2022, disse O’Leary.
Em dezembro, a Ryanair encomendou mais 75 aviões Boeing 737 MAX, o que foi o maior pedido desde que o avião teve voos suspensos no início de 2019 após dois acidentes fatais.
Assista as últimas notícias de economia
n