Geral

São Paulo adota novas regras para controlar o avanço da pandemia

Com vários hospitais do estado chegando ao limite, o governo decidiu promover mudanças no Plano São Paulo. Agora, para progredir na flexibilização, o nível de ocupação dos hospitais terá que cair. São Paulo adota novas regras para controlar o avanço da pandemia
O estado de São Paulo, que está com uma média alta de mortes, passa a ter novas regras do plano de controle da pandemia a partir de segunda-feira (11).

Bares cheios nas noites de São Paulo. Esses momentos em que tanta gente relaxa, tira a máscara e se aglomera são os que mais preocupam autoridades e profissionais de saúde. É que com o vírus circulando mais, o resultado aparece nos hospitais cada vez mais cheios.
Na capital, a ocupação de leitos de UTI aumentou 20% do Natal para cá, segundo a Secretaria de Saúde. Com vários hospitais do estado chegando ao limite, o governo decidiu promover mudanças no Plano São Paulo. Agora, para progredir na flexibilização, o nível de ocupação dos hospitais terá que cair.
Boa parte do estado está na fase amarela, mas as regiões de Marília, Presidente Prudente, Sorocaba e Registro estão na fase laranja, de maior restrição. Só que atividades como salões de beleza e academias – antes proibidas nessa fase – passaram a ser permitidas. Tudo pode funcionar por até oito horas por dia. A exceção são os bares, que devem ficar fechados.
Na capital, ainda na fase amarela, quase tudo pode funcionar, com algumas restrições de ocupação e horário. A questão é que mais liberdade para o lazer e as atividades econômicas exige, também, mais consciência e cuidado em um cenário de pandemia em alta.
“A pandemia continua e tem se intensificado e, principalmente, nas grandes capitais do Brasil. Então, de novo, a gente vai falar para não relaxem nessas práticas de prevenção até que a gente tenha uma cobertura grande de vacina no nosso pais. Vai ser um enorme desafio a gente ampliar e começar essas campanhas de imunização”, afirma o infectologista Álvaro Furtado da Costa.