Geral

Situação crítica: pessoas com planos de saúde estão procurando UPAs, diz Bruno Reis

A pressão no sistema de saúde em Salvador atinge as redes privada e pública, e por causa da demora de atendimento, pessoas que têm planos de saúde estão recorrendo às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) para serem socorridas. “Pessoas com plano de saúde não estão conseguindo hosptial e estão vindo para as nossas unidades. Isso ainda não tinha acontecido em Salvador, nem no ano passado no pior momento da pandemeia”, declarou o prefeito Bruno Reis, durante entrevista coletiva, nesta segunda-feira (22).

Segundo o prefeito, a ocupação dos leitos dos hospitais particulares está próxima de 100%, devido ao crescente número de casos de covid e à demanda de outras doenças. “Existem pessoas que estão enfrentando outros problemas de saúde, as pessoas requerem UTI e esses leitos não podem ser desmobilizadas de uma hora para outra”, explicou o prefeito.

Leia mais: Praias de Salvador serão fechadas a partir de quarta-feira

Reis apelou para que as pessoas se esforcem no combate à covid-19.  “Precisamos ter a consciência de que nesse momento a cidade não tem mais leito para atender quem tem plano de saúde. De tal forma que eu convoco a população para nos unirmos. Não adianta a gente concontrar novos profissionais para proteger a vida, ampliar leitos de UTI e enfermaria para salvar a vida das pessoas se não houver um pacto com a cidade. As pessoas precisam usar máscaras e manter o distanciamento”, apelou.

Novos leitos
O prefeito disse ainda que os leitos que foram abertos na última sexta-feira (19) na UPA de Valéria já foram todos ocupados. “Estamos fazendo um esforço a mais diante da necesidade do momento, e sempre a prefeitura trabalhou com a meta de 250 leitos de UTI e vamos chegar a 246 leitos”, disse o prefeito. 

A ampliação deve acontecer com a abertura de novos leitos no Hospital Salvador. Lá serão 40 leitos de UTI (atualmente são 20) e 120 de enfermaria (eram 40 da prefeitura). 

Além disso, a prefeitura está desativando consultórios de odontologia nas unidades de saúde para transformá-las em enfermarias. “Há perscpectiva de ajustes internos dentro das unidades, como suspender o atendimento bucal nas unidades para transformar em salas que vão funcionar como leitos de enfermaria, nós poderemos atender 75 pessoas. Então, vejam que são mais 75 leitos de enfermaria, que podem prestar todo atentimento aos pacientes”, afirmou o prefeito.