Saúde

Universitário dos EUA desvia doses e aplica vacina contra a Covid-19 em amigos de fora do grupo prioritário


Governo da Filadélfia encerrou acordo com a organização responsável pela aplicação do imunizante em idosos na cidade. Idosos aguardam para receber a vacina contra a Covid-19 em centro médico da Filadélfia, nos EUA, em foto de 23 de janeiro de 2021
Tyger Williams/The Philadelphia Inquirer/AP
Um estudante universitário dos Estados Unidos desviou doses da vacina contra a Covid-19 e as aplicou em quatro amigos que não fazem parte do grupo prioritário.
Andrei Doroshin, de 22 anos, disse nesta quinta-feira (28) que se arrepende de ter usado a vacina que era destinada à associação “Filadélfia Contra a Covid”, criada por estudantes voluntários em 2020.
Chefe do Estado-Maior pede demissão após furar fila de vacina na Espanha
Congresso do Equador pede destituição de ministro da Saúde que vacinou familiares
Doroshin preside a entidade que é responsável pela distribuição e aplicação do imunizante em idosos na Filadélfia. A prefeitura da cidade anunciou o fim do acordo com a organização.
Em entrevista para a emissora americana NBC, ele disse que cometeu um erro, mas que as vacinas haviam sobrado e, no final do dia, perderiam a validade.
“As doses iriam expirar”, disse Doroshin à NBC. “É meu erro. É um erro que carregarei comigo até o fim da minha vida.”
Os EUA aplicam as vacinas desenvolvidas pelas farmacêuticas Pfizer/BioNTech e Moderna, que devem ser mantidas a temperaturas extremamente baixas. Além disso, sua validade é muito limitada uma vez que o lacre é aberto.
Na terça-feira (26), um grupo de profissionais da saúde do Oregon distribuiu vacinas da Moderna, que estavam prestes a expirar, em seis motoristas. Eles ficaram presos em um engarrafamento depois de uma tempestade de neve, junto com as doses que iriam vencer.
“Um motorista ficou tão feliz que tirou a camisa e saltou do carro”, disse Michael Weber, diretor de saúde pública de Josephine, ao jornal “The New York Times”.
VÍDEOS mais vistos do G1